Ninguém nega que os médicos são profissionais importantes e que sempre é bom fazer aquele “check-up” para prevenir ou diagnosticar possíveis doenças. Fora isso, todos querem mesmo é distância do consultório e uma maneira de conseguir isso é investindo tempo em ioga, meditação, entre outras atividades que trabalham corpo e mente. É isso que mostra uma pesquisa de Harvard.

O segredo é simples. Muitos casos que levam as pessoas a adoeceram é devido ao estresse da rotina e praticar atividades que cuidam do físico, sem se esquecer da mente, é uma maneira de evitar ou ao menos amenizar os efeitos que conflitos diários podem causar no corpo humano.

Para chegar a esta conclusão, que para os praticantes não é exatamente uma novidade, a equipe de pesquisadores de Harvard, liderados por James E. Stahl, adotaram um programa de relaxamento que foi oferecido dentro do Hospital Geral de Massachusetts, nos EUA. O programa de oito semanas ensinou aos participantes várias técnicas diferentes, que trabalham mente e corpo, incluindo meditação, yoga, atenção plena, habilidades comportamentais cognitivas e psicologia positiva. Os voluntários do estudo participaram de sessões semanais e praticaram em casa também.

Os pesquisadores descobriram que os participantes usaram 43% menos serviços médicos do que no ano anterior, economizando mais de dois mil dólares por pessoa em visitas a salas de emergência. Isso significa que apostar em yoga e meditação pode resultar em uma redução de gastos com cuidados de saúde.

Apesar da máxima “saúde não tem preço”, a questão econômica é muito importante e foi levada em consideração. Especialmente porque nos Estados Unidos, país onde o estudo foi realizado, não há um sistema público de cobertura universal na área de saúde. Por isso, salvo pessoas que se enquadram em programas governamentais, cada norte-americano precisa adquirir seu próprio plano de saúde.

De acordo com o estudo, alcançar o relaxamento ou profundo descanso não só alivia o estresse e a ansiedade, como também melhora os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea. O corpo é beneficiado nos níveis neurológicos, cardiovascular, musculoesquelético e gastrointestinal.

Redação CicloVivo

Jornalista, social media e aparelhada para gostar de passarinhos. Tem interesse por mais assuntos do que é capaz de acompanhar. Aqui escreve sobre infinitas possibilidades de tornar o mundo um pouquinho melhor.