Em 2017, um laboratório de pesquisa vinculado ao NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration), nos Estados Unidos, descobriu que os mexilhões podem ajudar a limpar a água. Agora, um renomado projeto arquitetônico criou o habitat perfeito para mexilhões em um novo parque à beira-mar na cidade de Nova York.

Capaz de remover nitrogênio, fósforo e bactérias da água, a espécie de mexilhão Geukensia demissa é nativa da costa atlântica da América do Norte. E é numa orla costeira esquecida, que já funcionou como cais industrial, que tais espécies agora têm uma nova casa. O escritório SHoP Architects compôs lajes de concreto com sulcos, pedregulhos de granito e fendas: tudo para recriar os habitats naturais de mexilhões de Long Island, ilha do estado de NY.

A espécie integra o projeto Pier 35, que também contará com um grande corredor de trepadeiras que formará uma espécie de outdoor “verde” visível mesmo à longa distância. O píer, por sua vez, faz parte de uma estrutura ainda maior chamada East River Waterfront, que está criando um verdadeiramente parque urbano.

Segundo o Fast Company, o ecologista à frente do projeto dos mexilhões, Ron Aleveras, “recusou-se a usar meios artificiais para iniciar a colônia de mexilhões, preferindo que os moluscos a encontrassem naturalmente”. Não forçando a entrada dos animais, o impacto não só é menor como também é uma maneira mais certeira de testar o habitat do protótipo.

A equipe garante que há evidências de que mexilhões já começaram a tomar conta do novo espaço.

Foto da capa: SHoP Architects