Para favorecer o importante equilíbrio entre vida pessoal e trabalho, a Microsoft do Japão mudou a escala de seus funcionários. Durante o mês de agosto, as 2,3 mil pessoas que trabalham na empresa tiveram todas as sextas-feiras de folga.

A surpresa foi que, além dar mais tempo para que a equipe se dedique à família e atividades pessoais, a produtividade dentro da empresa aumentou 40% no período.

Um estudo realizado pela empresa constatou que a semana de trabalho de quatro dias forçou os funcionários a usarem seu tempo com mais eficiência – muitas das reuniões foram cortadas, encurtadas ou alteradas para reuniões virtuais em vez de presenciais.

Os funcionários também pediram 25,4% menos dias de folga, imprimiram 58,7% menos páginas e consumiram 23,1% menos eletricidade no escritório.

Proposta inovadora

O Japão é conhecido por ser um país onde o ritmo de trabalho é bastante intenso. Até 2016, um quarto das empresas exigia mais de 80 horas extras mensais dos seus funcionários. Com uma nova lei, este número caiu para 45 horas extras por mês.

Na contramão desta tendência, a Microsoft diz que planeja implementar os finais de semana de 3 dias em outros momentos. A produtividade aumentou e os funcionários aprovaram a medida: ao final de agosto, uma pesquisa mostrou que 92,1% deles aprovaram a semana de trabalho de quatro dias.