No dia 3 de dezembro é comemorado o Dia de Doar, uma ação que nasceu em 2012, nos Estados Unidos, e beneficia inúmeras Organizações Não-Governamentais, as ONGs, ao redor do mundo. Atualmente, 45 países participam da ação. No ano passado, o movimento estimulou mais de R$ 1,2 milhão em doações, impactando 22 milhões de pessoas nas mídias sociais com a hashtag #diadedoar. 

De acordo com o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), no Brasil, existem cerca de 820 mil organizações, desde as mais conhecidas como APAE, Cruz Vermelha e diversos hospitais filantrópicos, assim como as pequenas instituições, que têm um papel fundamental na dinâmica de regiões mais afastadas e/ou cidades pequenas.

O Dia de Doar reúne organizações e indivíduos que atuam pela promoção de um país mais generoso. Para Marcio Zeppelini, presidente da Rede Filantropia, o dia corrobora com a necessidade do país de entender a importância do trabalho das ONGs em prol de um Brasil mais justo. “Precisamos trabalhar a empatia e fazer o bem, bem feito. Tem muita gente suando a camisa porque acredita em um mundo melhor”, garante ele.

Doações nem sempre envolvem dinheiro

“Existem diversas formas de doação, como tempo, talento e itens materiais. É hora de mobilizar o Brasil para conquistarmos um país mais generoso e solidário. Estamos incentivando uma cultura e acreditamos que, ano a ano, mais pessoas serão impactadas por essa mensagem”, explica a diretora da Rede Filantropia, Thaís Iannarelli.