Por Jornal da USP

Alguma vez você já pesou o resto de comida que deixou no prato? Um programa da Escola de Engenharia de Lorena (EEL) da USP realiza ações para conscientizar os frequentadores do Restaurante Universitário (RU) da área 1 do campus, frequentado principalmente por estudantes. O Prato Limpo procura reduzir o desperdício de alimentos por meio de ações de conscientização.

Uma das atividades é a pesagem de restos de alimentos deixados pelos usuários do RU. No primeiro semestre deste ano, foram realizadas 39 pesagens, entre os dias 18 de fevereiro e 19 de junho. Participaram 1.571 pessoas, com uma média de desperdício de 21,9 gramas por pessoa. O mês com maior desperdício foi o mês de fevereiro, com média de 31,22 gramas por pessoa.

Segundo os organizadores do programa, “algumas pessoas, ao ingressarem na Universidade, ainda não possuem consciência do desperdício que geram, tampouco foram levadas a repensar os seus hábitos de consumo; é esse o papel de projetos como o programa Prato Limpo. Temos convicção da eficiência do programa quando comparamos a média de desperdício no primeiro (31,22 gramas) e no último mês (21,9 gramas) das pesagens ao longo do semestre”.

Para despertar a atenção dos alunos, o programa fez um “ranking do desperdício”, dividindo a quantidade de restos de comida por cursos oferecidos na EEL. Veja abaixo:

As pesagens buscam acompanhar a média de desperdício e seus valores servem para orientar as campanhas do projeto. Logo após a implantação do Prato Limpo em 2015, o programa realizou as primeiras pesagens, entre abril de 2016 e junho de 2017. Durante 174 dias de monitoramento, a equipe pesou 161 almoços e 157 jantares. O valor foi impressionante: 6,2 toneladas de restos produzidas.

No início da ação, o desperdício era de 84 gramas por pessoa, valor muito maior que os 30 gramas aceitáveis e indicados na literatura da área. Ao final da pesagem em junho de 2017, o número tinha caído 70%, ou seja, 22 gramas por pessoa.

Outra contribuição do projeto foi a separação adequada de cascas de frutas, que podem ser utilizadas em processos de compostagem, por exemplo, e contribuir com a redução da quantidade de matéria orgânica enviada a aterros sanitários. Foram confeccionadas novas linhas para organização das filas e os tambores de resíduos do restaurante foram realocados. A ação possibilitou de forma rápida e gratuita a separação entre as cascas de frutas e os outros tipos de alimentos descartados diariamente no RU.

O trabalho é realizado por alunos que participam do Programa Unificado de Bolsas (PUB) da USP, com coordenação de professores, centro acadêmico, alunos do curso de Engenharia Ambiental e voluntários. As redes sociais são aliadas na conscientização dos frequentadores do RU. Em sua página no Facebook, o Prato Limpo compartilha o cardápio semanal do restaurante e informações gerais sobre os dados do projeto, além de campanhas voltadas ao consumo sustentável e redução do desperdício.

Balança usada durante a pesagem de restos de alimentos. | Foto: Divulgação/EEL

Neste ano, ainda foi feito um levantamento de dados sobre o uso de copos descartáveis no restaurante. Com a ajuda da equipe do local, são contados diariamente o número de copos utilizados. Entre os dias 18 de fevereiro a 28 de junho, foram utilizados 2.669 copos descartáveis. A coordenação do projeto está preparando novas estratégias para mobilização dos usuários do restaurante buscando zerar o uso de copos descartáveis na EEL.

Prato Limpo entre 2016 e 2017