A proibição de plástico de uso único foi anunciada pelo presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, no Dia Mundial do Meio Ambeinte, no ano passado. Em 5 de junho de 2020, plásticos de uso único foram oficialmente proibidos nos parques nacionais, florestas e áreas de conservação e praias do país.

Quem entra nestas áreas não pode trazer garrafas, pratos, embalagens, talheres ou canudos plásticos. Esta medida veio depois do país banir em todo o seu território o uso de sacolas plásticas descartáveis, em 2017.

Inspiração para outros países

“Com esta medida, o Quênia se une ao resto do mundo em uma agenda pelo gerenciamento sustentável de resíduos, dentro do que foi proposto no Dia Mundial do Meio Ambiente”, comemora Juliette Biao, diretora da UNEP para a região africana. “Apenas 3 meses depois de criar uma das mais eficientes leis contra o uso de sacolas plásticas descartáveis, esta última medida vem na hora certa porque nossa vida selvagem e biodiversidade são um lindo exemplo do que a natureza é”.

A proibição do plástico em áreas onde estão espécies de plantas e animais nativas do país parte do compromisso verde assumido pelo Quênia. “A preservação do meio ambiente está diretamente ligada à nossa saúde e bem-estar, e à saúde e bem-estar das próximas gerações. Esta é apenas uma das medidas que devemos adotar para combater a catástrofe simbolizada pela poluição plástica e esperamos que sirva de exemplo para outros países da região”, declarou Najib Balala, secretária de gabinete de Turismo e Vida Selvagem.