Um estudo internacional, publicado na última quarta-feira (6), relaciona a poluição com o baixo desenvolvimento de bebês. De acordo com a pesquisa, grávidas expostas aos poluentes presentes no ar têm mais chance de gerarem filhos com baixo peso.

Conforme reportagem publicada na agência AFP, os cientistas trabalharam durante dez anos, entre 1990 e 2000, coletando dados para que fosse possível chegar a essa conclusão. Os três milhões de casos analisados aconteceram na América do Norte, África do Sul, Ásia, Austrália e Europa.

A relação é direta, ou seja, quanto maior são os níveis de poluição no ar, maiores são também as incidências de bebês que nascem com peso abaixo dos 2,5 kg. Em consequência disso, as chances de mortalidade pré-natal, doenças e futuros problemas crônicos de saúde, também são mais comuns, como explicado por Payann Dadvand do Centro de Pesquisa em Epidemiologia Menta em Barcelona, Espanha.

Os altos índices de agentes poluentes presentes do ar são constantemente identificados em muitas grandes cidades do mundo. Por isso, é responsabilidade das autoridades locais estabelecerem limites para a concentração dessas partículas e a consequente fiscalização.

O pior cenário foi identificado na China. Enquanto nos Estados Unidos o limite de concentração das partículas de poluição é de 12 microgramas/m3 e na União Europeia é de 25 microgramas/m3, a China alcançou recentemente os 700 microgramas/m3, níveis considerados insustentáveis para qualquer pessoa. Com informações da AFP.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.