O pesquisador Leonardo Seeber, do Observatório Terrestre Lamont-Doherty, em Nova York, divulgou um estudo que mostra como as ações humanas podem influenciar a ocorrência de terremotos. Segundo ele, não são somente as forças naturais que causam estes desastres.

As análises de Seeber mostram que os impactos da engenharia na natureza são comuns e têm ocorrido com mais frequência há pouco mais de meio século. Um dos exemplos usados para comprovar a teoria foi o terremoto de 1967, ocasionado em consequência da construção de da represa Koyna, na Índia.

Apesar de ter um argumento bem formado, o especialista admite que é difícil diferenciar os terremotos ocasionados por causar naturais ou por ações humanas. A falta de apoio das empresas durante as investigações torna o processo ainda mais árduo.

“Os representantes das empresas responsáveis geralmente se recusam a admitir a responsabilidade e dificultam a obtenção de dados que comprovem essa influência”, declarou ele ao New York Times.

Seeber explica que a mudança na pressão consequente da construção de represas ou exploração de petróleo podem facilmente ocasionar a ruptura de uma falha geológica. Essas são as duas principais atividades humanas que podem resultar em terremotos ou desastres maiores. Em contrapartida, o processo de obtenção de gás natural não está na lista de causadores de terremotos de Seeber. Com informações do New York Times.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.