- Publicidade -

O tratamento dos resíduos do terremoto que atingiu o Japão em 11 de março de 2011 será um dos temas do 14ª edição do Seminário Nacional de Limpeza Pública (Senalimp), que acontece nos dias 11, 12 e 13 de setembro, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo (SP). O Senalimp é realizado pela Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP) desde 1974.

O professor Toshiaki Yoshioka, da Faculdade de Estudos Ambientais, da Universidade de Tohoku, ministrará palestra no evento, onde explicará como são tratados os resíduos nas províncias atingidas pelo tremor de 8,9 graus na escala Richter, seguido de tsumani.

Segundo Yoshioka, o tratamento dos resíduos nas províncias de Miyagi e Iwate, que, junto com Fukushima, foram as mais atingidas, só se encerrará em março de 2016. De acordo com o professor, a reciclagem dos resíduos tem sido prioridade. “Na minha palestra, falarei sobre a gestão, as questões técnicas e a situação atual”, disse.

- Publicidade -

Estimativa realizada pelo governo japônes mostrou que as três províncias produziram um total de 23 milhões de toneladas de entulho. Uma reportagem da BBC comparou que a quantidade de lixo gerada em Iwate após a tragédia equivale a 11 anos de resíduos produzidos na província. Em Miyagi, equivale a 19 anos.

Além da palestra do professor Yoshioka, o Senalimp contará com outros palestrantes internacionais, como o português Tomás Serra, membro do Conselho de Administração da Águas de Portugal (ADP), que falará sobre o estágio da limpeza pública no país. Haverá debates e palestras sobre a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, a recuperação energética de resíduos, novas tecnologias para a coleta de lixo, experiências bem-sucedidas de parcerias público-privadas na limpeza urbana, entre outros temas.

O seminário acontecerá entre os dias 11, 12 e 13 de setembro, das 8h às 18h. Para se inscrever clique aqui ou entre em contato pelo telefone 11-3266-2484. A participação nos três dias custa R$ 600,00; caso seja estudante o valor cai para R$ 100,00.

 

- Publicidade -