- Publicidade -

A NOAA (Administração Oceânica e Atmosférica Nacional americana) informou que o último mês foi o terceiro maio mais quente desde que as temperaturas globais começaram a ser monitoradas, em 1880. O calor acima do normal foi registrado em diferentes continentes.

De acordo com o órgão norte-americano, a temperatura média identificada foi de 15,46ºC, considerando a camada terrestre e também a superfície do mar. Os registros de calor que excedem os níveis históricos ocorreram, inclusive, em regiões muito geladas, como o norte da Sibéria e o oeste da Rússia.

As altas temperaturas colocaram o último mês de maio como 339º mês consecutivo com calor acima da média no século XX. Em consequência disso, a cobertura de neve tem sido cada vez menor, como comprovado pela NOAA.

- Publicidade -

A organização informa que a camada de gelo foi a terceira menor já registrada. A redução ocorreu na Eurásia e América do Norte. No mar Ártico o cenário é bastante semelhante, com redução de 2,17%, em comparação à média registrada entre 1981 e 2010. A Antártica foi a exceção, com uma média de gelo no mar 6,33% superior às médias dos meses de maio das últimas três décadas.

Para tentar contornar esta situação e evitar que os impactos do aumento nos termômetros sejam ainda mais intensificados, a ONU cobra o apoio mútuo de nações de todo o mundo para conter as emissões de gases de efeito estufa e, assim, limitar a subida nas temperaturas em 2ºC. Com informações das agências internacionais.

Redação CicloVivo

- Publicidade -