- Publicidade -

A organização não governamental internacional Durrell Wildlife Conservation Trust, sediada no Reino Unido, trabalha para salvar espécies da extinção. Com o compromisso de preservar a diversidade e a integridade da vida na terra, Durrell desenvolveu uma reputação mundial por suas técnicas de conservação pioneiras.

 A ONG anunciou no dia 19 de outubro que reproduziu em cativeiro o macaco amazônico sauim-de-coleira, espécie ameaçada de extinção, e que só habita originalmente a região de Manaus (AM).

Segundo a ONG, três macacos nasceram em cativeiro há cerca de dois meses, mas um deles morreu. Um dos sobreviventes também correu risco de morte após nascer com apenas 8 cm de altura e pesando 45 gramas. Mas, após ser submetido a uma cirurgia de emergência de sucesso, o filhote está passando por um regime especial que inclui amamentação a cada duas horas, conduzida por veterinários.

- Publicidade -

Jenna Pick, tratadora de mamíferos disse que “o nascimento destes dois bebês é fantástico; representa um grande impulso para a saúde da população em cativeiro. Infelizmente a mãe dos recém nascidos, Eulália, os rejeitou após o nascimento e agora os bebês serão analisados por pais adotivos. O macho do casal de macacos que está na espera, tem 13 anos e a fêmea 12, ambos provaram ser ótimos pais no passado.

Os macacos sauim-de-coleira (Saguinus bicolor) são encontrados perto de Manaus, em uma área já bastante urbanizada e por isso são considerados ameaçados de extinção. Alguns vivem isolados em fragmentos de floresta dentro da cidade e tentam encontrar novos lares, mas muitos deles, de acordo com a ONG, morrem ao cruzar estradas.

O chefe adjunto do Mammals Dominic Wormell, disse que na vida selvagem, a espécie está se tornando cada vez mais ameaçada. Nos últimos dez anos a cidade tem expandido muito o impacto sobre o habitat de floresta dos saguis. “Junto com o programa de conservação a Durrell está apoiando aqueles que trabalham no campo para conservar este fantástico macaquinho da Amazônia."

Trabalhando com uma ampla gama de parceiros internacionais, Durrel combina as competências dos colaboradores de seus próprios parques de animais selvagens, para salvar algumas das espécies mais ameaçadas, nos lugares mais ameaçados. Com sede em Jersey, o Centro Internacional de formação também suporta o desenvolvimento de conservacionistas e tem educado mais de 1800 licenciados em 122 países.

Confira o vídeo da Durrell Wildlife Conservation Trust

[VIDEO:durrell_wildlife_conservation_trust]

Com informações da Globo Amazônia

- Publicidade -