- Publicidade -

Danúbio um dos principais rios da Europa está seriamente ameaçado de sofrer uma catástrofe ecológica devido a uma onda de lama tóxica vermelha que vazou de um depósito de uma refinaria em Aika, na Hungria a 160 km de Budapeste. A estrutura que se rompeu tinha em torno de 300 metros de altura por 450 de diâmetro.

700 mil metros cúbicos de resíduos tóxicos se espalharam pela região de Kolontar e em vilas próximas, por razões ainda desconhecidas, danificando casas, carros, ruas e pontes. Centenas de moradores tiveram que deixar a região, 120 pessoas ficaram feridas, quatro pessoas foram mortas e ainda seis estão desaparecidas. Morreram também muitos animais. Os ferimentos em sua maioria são queimaduras e irritações nos olhos causados por chumbo e outros elementos presentes na lama.

Uma das vítimas, Erzsebet Veingartner moradora de Kolontar – cidade mais próxima da refinaria -, disse que sua casa foi invadida por uma onda de 3,5 m, que varreu tudo o que tinha pela frente.

- Publicidade -

Foi decretado estado de emergência nos Estados de Veszprém, Gyor-Moson-Sopron e Vas. Segundo Zoltan Illés, secretário de estado do Ministério do Meio Ambiente este é o acidente químico mais grave da história da Hungria e ameaça ultrapassar os estragos ambientais causados há dez anos, quando vazou uma enorme quantidade de cianureto de um reservatório de uma mina de ouro numa cidade romena perto da fronteira com a Hungria. Neste desastre, o rio Danúbio e outros quatro rios menores foram atingidos matando animais e plantas.

O processo de transformação da bauxita em alumina, para a fabricação de alumínio, gera a lama vermelha. Para cada tonelada de alumínio produzido, produzem-se três de lama, que é altamente alcalina com efeito cáustico na pele e é levemente radioativa. Testes mostraram que não existe risco de radiação na área atingida. Porém, a inalação da poeira desta lama pode causar câncer de pulmão.

Viktor Orban, primeiro ministro da Hungria, suspeita que o acidente tenha sido causado por falha humana, já que não há evidências de causas naturais. A refinaria havia sido inspecionada há duas semanas sem irregularidades. A empresa MAL Rt., dona da refinaria nega ter sido negligente com o reservatório, e diz que a lama não é considerada resíduo perigoso segundo padrões europeus.

As autoridades disseram que é comum o estoque de resíduos em tanques, aonde a água vai evaporando aos poucos deixando acumulado um resíduo vermelho. Mas, eles descobriram que o resíduo que se espalhou pela Hungria estava se acumulando por décadas e que por isso estava extremamente alcalino com pH em torno de 13, o que causa queimaduras. O médico, Peter Jakabor, explicou que as queimaduras químicas podem levar dias pra aparecer e ferimentos, aparentemente superficiais, podem ser letais conforme vão penetrando nas camadas mais profundas da pele.

Para deter a lama e evitar que ele chegue ao rio Danúbio foram jogadas mil toneladas de argamassa no rio Marcal, por equipes de emergência devidamente protegidas por equipamentos e máscaras, a cerca de 70 km. As equipes também varreram as ruas das cidades mais atingidas e as casas que estavam revestidas pela lama cáustica.

No local, moradores tentam salvar seus pertences protegendo-se com luvas de borracha. Foi recomendado que as pessoas limpassem a lama com água para que se neutralize a substância.

O Rio Danúbio passa por alguns dos lugares mais preservados do continente, desde sua nascente na Floresta Negra, na Alemanha, até desaguar no Mar Negro.

Confira o vídeo do desastre

[VIDEO:inundacao_de_lama_toxica]

- Publicidade -