- Publicidade -

Em meio à enxurrada de notícias sobre a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), evento que reúne jovens católicos do mundo inteiro, uma informação negativa chamou atenção dos fiéis. Na última terça-feira (16), a paróquia de São Sebastião de Itaipu, no Rio de Janeiro, foi multada em R$ 10 mil por derrubar 334 árvores em sua propriedade.

A ação teve como objetivo abrir espaço para a realização de uma missa durante a JMJ, período em que o Papa Francisco visitará o Brasil, e foi realizada sem o consentimento dos órgãos municipais. Além da multa aplicada pela Secretaria do Meio Ambiente de Niterói, a instituição terá que replantar a área, em, no máximo, 60 dias.

Segundo informou a Secretaria, a restinga da praia de Itaipu também precisará ser recuperada. O fato de as árvores não fazerem parte da Mata Atlântica e não serem centenárias possibilitaria a derrubada, desde que fossem analisadas as condições. A questão é que tudo foi feito sem a autorização do órgão.

- Publicidade -

De acordo com o UOL, no início do mês, a organização da JMJ já havia solicitado a retirada de onze coqueiros da praia do Leme, onde ocorrerá uma missa campal. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, até chegou a autorizar a derrubada, porém a pressão de ambientalistas fez com que ele voltasse atrás.

As obrigações da paróquia, que espera receber cerca de 800 peregrinos, foram estabelecidas em um Termo de Compromisso Ambiental.

A JMJ será realizada de 23 a 28 de julho de 2013, na cidade do Rio de Janeiro. O evento será a primeira grande visita internacional do papa Franscisco, que também passará por São Paulo. Com informações do UOL.

Redação CicloVivo

 

- Publicidade -