Neste mês, uma série de consultas públicas estão sendo realizadas em Florianópolis para envolver a população na criação da Unidade de Conservação do Refúgio da Vida Silvestre Municipal (REVIS) Meiembipe. Com previsão de incorporar uma área de 56 km², será a maior unidade de proteção da capital de Santa Catarina.

A área prevista representa cerca de 12% do território de Floripa e nenhuma construção consolidada estará dentro da nova unidade, ou seja, não haverá a necessidade de realizar regularizações fundiárias ou desapropriações.

Ao entorno da unidade ficarão os bairros Itacorubi, João Paulo, Saco Grande, Monte Verde, Ratones, Vargem Pequena, Vargem Grande, Vargem do Bom Jesus, Cachoeira do Bom Jesus, Ponta das Canas, Lagoinha de Pontas das Canas, Praia Brava, Ingleses, Rio Vermelho, Costa da Lagoa e Lagoa da Conceição.

Refúgio da Vida Silvestre Municipal

Benefícios

Em Florianópolis, a maioria das UCs Municipais estão concentradas na região Centro e Sul da cidade. O Norte da Ilha, mais urbanizado, carece de maior proteção. “Com o novo refúgio a gente procura garantir a manutenção das nascentes de nossas bacias hídricas, o equilíbrio climático, e também proteger as pessoas contra desabamentos de encostas e enchentes, como temos visto em outras cidades brasileiras”, afirmou Mauro Manoel da Costa, Chefe do Departamento de Unidades de Conservação de Florianópolis.

Além desses benefícios, Costa diz que com essa ação, batizada de Florestaço, a conservação da paisagem natural permite que Florianópolis conserve um de seus principais pilares econômicos: o turismo. “A Prefeitura pretende garantir a qualidade de vida de seus habitantes hoje e no futuro, assim como manter nossa cidade como um destino qualificado para todos”.

O que é um REVIS?

passarinho
Foto: Divulgação | PMF

Um Refúgio da Vida Silvestre Municipal (REVIS) é uma das cinco diferentes categorias de Unidade de Conservação do Grupo de Proteção Integral, e tem como objetivo a garantia da conservação do nosso patrimônio natural em equilíbrio com o processo de urbanização da cidade.

Por que Meiembipe?

Meiembipe era como os índios Carijós chamavam a região que hoje corresponde a Florianópolis. Eles foram os primeiros habitantes locais. O objetivo, segundo a prefeitura, é “valorizar os ancestrais com esse nome que remete à cadeia de montanhas ao longo do mar”.