Até a próxima semana, a possibilidade de racionamento na capital é pequena. Entretanto, a população deve ficar atenta: a medida só não será adotada, se os paulistanos economizarem.

Segundo o Terra, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, descarta as chances de racionamento até o dia 15 de fevereiro, quando, segundo ele, há previsão de chuva. Entretanto, é preciso reduzir ao máximo o consumo de água para evitar o racionamento. “Se houver economia, essa medida será suficiente. Mas vamos depender também das chuvas, pois, além de não chover, está muito calor – isso também faz o consumo aumentar”, afirmou Alckmin.

Os municípios da região metropolitana, norte e centro da cidade já sentem os efeitos do baixo volume de água no reservatório da Cantareira, que abastece esses locais. Diversas cidades do interior já sofrem com o racionamento.

Para inibir os gastos da população, a proposta da Sabesp é dar desconto de 30% na conta de água para os que economizarem 20% do consumo. A iniciativa é válida para os moradores das regiões abastecidas pelo Cantareira.

Já em Campinas, foi determinada a proibição de usar água para lavar calçadas. Quem desobedecer corre o risco de sofrer uma multa equivalente a três vezes o valor da última fatura de água.

Veja aqui, dicas para economizar água em casa.

Redação CicloVivo