A rede de restaurantes Burger King se comprometeu a eliminar o uso de ovos produzidos por galinhas confinadas em gaiolas em toda sua cadeia de fornecimento, passando a somente comprar ovos produzidos em sistemas onde as aves são criadas soltas.

O anúncio foi feito pela empresa controladora do Burger King, a Restaurant Brands International (RBI). A política é válida para todas as marcas da RBI em todo o mundo – incluindo a Tim Hortons, maior rede de restaurantes do Canadá. O prazo de 2025 foi estabelecido para que a transição seja concluída nos EUA, Canadá e México. Nenhuma data específica foi estabelecida para o resto do mundo, o que inclui o Brasil.

“A RBI está comprometida em fazer uma transição para comprar 100% dos ovos de sistemas que não usam gaiolas em todo o mundo. E nós vamos atingir essa meta nos EUA, Canadá e México – para todos os restaurantes do Burger King e da Tim Horsons – até 2025”, anunciou a empresa. “Também vamos continuar trabalhando com nossos parceiros da Humane Society of the United States (HSUS) e Humane Society International (HSI) para entender melhor esse tema e outros tópicos similares”.

No Brasil, mais de 90% das galinhas poedeiras passam suas vidas inteiras confinadas em gaiolas de metal, chamadas de gaiolas em bateria, que são tão pequenas que as aves não conseguem sequer esticar suas asas completamente.

“O fato do Burger King estar se unindo ao movimento livre-de-gaiolas em nível global é um claro indicador de que o futuro da produção de ovos é sem gaiolas. Esperamos ver a empresa anunciar um prazo similar para seus restaurantes na Ásia, África e em todos os países latino-americanos – incluindo o Brasil”, afirmou a vice-diretora da HSI, Elissa Lane.

Outras grandes empresas que já se comprometeram a somente usar ovos produzidos sem gaiolas no Brasil são o Grupo Bimbo, Nestlé, Unilever e Marriott International. Em nível global, diversas outras empresas líderes de mercado também já se uniram ao movimento livre-de-gaiolas.