- Publicidade -

Após dois anos do desastre em Fukushima, no Japão, a usina registra um novo vazamento de água radioativa no local. A informação, divulgada na última terça-feira (9), é da própria empresa que administra a usina nuclear, a Tepco.

Este já é o terceiro vazamento registrado na usina nos últimos dias. O ocorrido se passou nos arredores do depósito número um, que fica posicionado debaixo do solo. Antes disso, acontecimentos similares já tinham atingido os depósitos de número dois e três.

Na época do acidente, o Instituto de Proteção Radiológica e Segurança Nuclear, do governo francês, afirmou que o ocorrido “foi responsável pelo maior despejo de água radioativa no mar na história”, conforme publicado pela revista Época.

- Publicidade -

Algumas das consequências foram estudadas por pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. De acordo com um estudo, publicado em 2012, a radiação de Fukushima pode causar o surgimento de 2.500 casos de câncer.

Segundo o coautor do estudo, Mark Z. Jacobson, o desastre poderia ter sido, pelo menos, dez vezes mais grave, caso a radiação não tivesse caído no mar.

O porta-voz da empresa, Masayuki Ono, afirmou que as causas da origem deste último vazamento ainda são desconhecidas, mas algumas possibilidades estão em análise. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

- Publicidade -