turbina eólica água eletricidade potável
Foto: Arquivo Pessoal
- Publicidade -

Milhões de pessoas ao redor do mundo não têm acesso à agua potável, saneamento básico e rede elétrica. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o fornecimento de água e energia têm aumentado, mas ainda não é suficiente para que todos possam viver com saúde e dignidade.

A Índia é um dos países onde a falta de acesso a serviços básicos compromete a qualidade de vida da população. Mais do que acesso à água, é necessário água limpa para o consumo humano.

A boa notícia é que Madhu Vajrakarur, um jovem engenheiro eletricista indiano, desenvolveu um projeto que pode ser a solução de dois grandes problemas: a falta de energia elétrica e água potável. Madhu criou uma turbina eólica que produz eletricidade e água para o consumo humano aproveitando o vento e a umidade do ar.

- Publicidade -

A turbina “dois em um” produz diariamente cerca de 30KW e até 100 litros de água potável. Com isso é possível atender a demanda elétrica de cerca de 25 casas da região.

Há 16 anos o jovem inventor vem trabalhando neste projeto para produzir água e energia com um único equipamento.

“Quando criança, eu não tive acesso à agua limpa ou à eletricidade. Então, desde muito cedo, queria encontrar uma solução para estes problemas e comecei a trabalhar com a ideia de uma máquina que pudesse fornecer as duas coisas ao mesmo tempo.”

Madhu Vajrakarur

Como funciona?

A eletricidade produzida pela turbina alimenta todo o seu sistema. NO centro do equipamento está um respirador, através do qual o ar passa. O ar é resfriado com o uso de um compressor de refrigeração, transformando o vapor em água líquida. A água é então enviada para tanques de armazenamento e passa pelos processos de filtragem e purificação.

O projeto já foi enviado para a avaliação das autoridades locais e Madhu aguarda a aprovação de um investimento para sua produção. A invenção já foi inclusive mencionada por Narendra Modi, primeiro ministro da Índia.

Esta tecnologia pode fazer a diferença nas regiões mais pobres do país, especialmente nas zonas onde há maior incidência de ventos. Além de ajudar a levar água e eletricidade para quem não tem, pode ser uma boa alternativa para que residências e estabelecimentos comerciais economizem nas faturas de luz e água.

- Publicidade -