tasmânia renovável
Foto: Spencer Chow | Unsplash

Em meio ao Oceano Antártico, Pacífico e Índico está uma pequena porção de terra onde vivem pouco mais de 500 mil pessoas. Trata-se da Tasmânia, estado insular da Austrália, totalmente autossuficiente em energia renovável. 

A força dos ventos mudou os rumos da Tasmânia. É graças à expansão da infraestrutura eólica somada às hidrelétricas, que a região alcança sua independência de importações de gás e carvão para suprir suas necessidades energéticas. 

Apesar de outras cidades já operarem com 100% de energia renovável, esse é o primeiro estado do país a conseguir tal feito, que foi anunciado na última sexta-feira (27) pelo Ministro de Energia da Tasmânia, Guy Barnett. A transição foi alcançada dois anos antes do prometido – previsto apenas para 2022. 

Foto: Daniel Kuberek | Unsplash

“Quando as duas turbinas finais forem comissionadas em Granville Harbour, a Tasmânia terá acesso a 10.741 GWh de capacidade de geração de energia renovável — bem acima de nossa demanda média anual de eletricidade de 10.500 GWh”, afirmou Barnett em comunicado à imprensa.

De acordo com o ministro, a meta é dobrar a geração renovável – chegando a 200% até 2040. E não para por aí. “Continuaremos a desenvolver uma indústria de hidrogênio renovável com a viabilidade de projetos importantes”, destacando um programa de financiamento de US$ 50 milhões do governo para este fim. 

“A Tasmânia está melhor posicionada do que qualquer outro lugar do mundo para se tornar uma usina de energia renovável e um centro de transporte e indústria de carbono zero, porque veículos elétricos, produção de aço, produção de hidrogênio e muito mais serão movidos a eletricidade 100% renovável”, afirmou Nicky Ison, porta-voz do WWF Austrália ao site Renew Economy.

O governo aponta que tais projetos serão fundamentais para a criação de empregos e reconstrução no pós pandemia.

Foto: The 3B’s | Flickr