Um dos mitos mais propagados é de que os sistemas fotovoltaicos perdem a eficiência durante os períodos mais frios do ano, ou seja, no outono e inverno. A resposta é não. Os sistemas não perdem a sua eficiência, o frio pouco interfere na geração de energia, já que existe radiação solar no inverno e em dias nublados. O que acontece é a diminuição da incidência de radiação solar sobre os módulos, fazendo com que o sistema tenha uma redução na energia gerada.

Alcione Belache, engenheiro eletricista e CEO da Renovigi, fabricante de sistemas fotovoltaicos no Brasil, explica porque essa dúvida é comum para quem pensa em instalar um sistema de energia solar em casa. Para ele, a primeira coisa que se deve ter em mente quando falamos de energia provinda do sol é que existe uma diferença entre as tecnologias existentes no mercado. Existe a energia solar térmica e a energia solar fotovoltaica.

A primeira, energia térmica, utiliza o calor do sol e se baseia na condução do calor para aquecer algum elemento, como água e gás. Neste sistema, o calor é captado por meio de painéis coletores instalados nos telhados. Existe ainda um reservatório com isolamento térmico, e canos de cobre para que ocorra o aquecimento. Esse sistema também é conhecido como aquecimento solar.

Já a energia solar fotovoltaica, que está ganhando espaço em todo o mundo, gera energia por meio da conversão da radiação solar emitida pelo sol em energia elétrica. Dessa maneira, pode ser aplicada em residências, empresas e no meio rural. Sendo capaz de colocar em funcionamento qualquer equipamento elétrico, não só o chuveiro. “O frio de inverno não influencia negativamente a geração de energia do sistema, ao contrário, ele é até benéfico para o desempenho dos painéis, em algumas situações.”, esclarece Belache.

Energia da radiação

Um painel fotovoltaico possui diversas células e cada uma delas é composta por duas camadas de silício. A mais fina é carregada negativamente e, ao ser atingida pela radiação solar, transfere seus elétrons para a camada mais grossa, gerando energia elétrica. O frio pouco interfere na geração de energia, pois o impacto da temperatura não é tão agressivo quanto o impacto da diminuição da incidência de radiação solar, pois ela continua sendo emitida, em menor proporção, porém continuará a produção de energia mesmo no inverno e em dias nublados.

Portanto, há diminuição de geração de energia no inverno devido às condições de radiação solar e a menor duração do dia nessa estação. Além da angulação do sol, que faz com que seja seja gerada menos energia do que no verão. A posição dos módulos fotovoltaicos também influenciará nesse fator de geração.

Falando em angulação do sol, um outro fator que também se relaciona à eficiência da geração de energia em diferentes estações do ano é o posicionamento dos painéis. Nos sistemas fotovoltaicos, normalmente quando não há um software específico para determinar a melhor angulação do sistema, o melhor ângulo para inclinação dos painéis é equivalente a latitude do lugar, ou seja, é levada em consideração a latitude da região para se fazer a instalação dos painéis, alcançando dessa forma, um potencial mais elevado do sistema.

Em estações com maior radiação solar haverá, por vezes, meses em que o sistema vai produzir mais energia do que a necessária naquele imóvel, é o caso do verão. Esse excedente é injetado na rede pública, e pode-se transferir esses créditos excedentes para outras unidades consumidores, por meio da concessionária de energia. “Nos períodos de outono e inverno os créditos podem ser utilizados no abatimento do consumo, gerando economia até mesmo nos períodos com menor radiação solar”, finaliza o executivo.