Ícone do site

Imagens mostram como nível do mar pode afetar cidades brasileiras

Novas imagens mostram quais áreas poderiam ser salvas ou perdidas se as emissões de carbono não forem contidas.

Published 15/11/2021

A organização Climate Central desenvolveu uma série de imagens e vídeos que trazem uma simulação de como diversas cidades ao redor do mundo podem ser afetadas pelo aumento do nível do mar caso o mundo não cumpra as metas de redução de emissões. Os efeitos das mudanças climáticas serão devastadores.

Os cientistas da Climate Central examinaram onde as populações são mais vulneráveis ​​nos próximos 200 a 2.000 anos e em diferentes cenários de aquecimento. Os resultados são alarmantes:

A linha da maré alta pode invadir terras ocupadas por cerca de 10% da população global atual (mais de 800 milhões de pessoas) após 3 °C de aquecimento. Muitas pequenas nações insulares estão ameaçadas de perda quase total.

“Temos a oportunidade agora de mudar esse futuro. Cumprir as metas mais ambiciosas do Acordo Climático de Paris provavelmente reduzirá a exposição pela metade, permitindo que as nações evitem construir defesas não testadas ou abandonar muitas megacidades costeiras”, diz a organização Climate Central

Cumprir as metas mais ambiciosas do acordo climático de Paris poderia reduzir a exposição ao aumento do nível do mar em cerca de metade. Mas o mundo não está a caminho de limitar o aquecimento global a 1.5 °C, conforme descrito no acordo de Paris de 2015. Com base nas emissões atuais, espera-se que a Terra alcance e até mesmo exceda o aquecimento de 3 °C até 2100.

As imagens (em formato de foto, vídeo e mapa) mostram quais áreas podem ser salvas e quais podem ser totalmente perdidas, levando consigo o patrimônio e a história dessas comunidades costeiras. O CicloVivo fez uma seleção das imagens de pontos turísticos, cidades e regiões brasileiras.

Como o nível do mar pode afetar as cidades brasileiras?

Farol de Mucuripe, Fortaleza (presente)

Foto: Climate Central

Farol de Mucuripe, Fortaleza (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Farol de Mucuripe, Fortaleza (+3 °C)

Imagem renderizada do Farol de Mucuripe, Fortaleza | Climate Central

Ponta da Praia (Santos) e Guarujá

Imagem: Climate Central

Ponta da Praia, Santos (+4 °C)

Foto: Climate Central

Hipódromo da Gávea, Rio de Janeiro

Usina do Gasômetro, Porto Alegre (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Usina do Gasômetro, Porto Alegre (+3 °C)

Foto: Climate Central

São Luís, Maranhão (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

São Luís, Maranhão (+4 °C)

Foto: Climate Central

Ilha de Marajó, Pará

Imagem: Climate Central

Elevador Lacerda, Salvador (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Elevador Lacerda, Salvador (+3 °C )

Foto: Climate Central

Rio de Janeiro

Imagem: Climate Central

Estação Botafogo, Rio de Janeiro (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Estação Botafogo, Rio de Janeiro (+3 °C)

Foto: Climate Central

Rio Amazonas

Imagem: Climate Central

Recife (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Recife (+3 °C)

Foto: Climate Central

Estádio dos Aflitos, Recife (+1,5 °C)

Foto: Climate Central

Estádio dos Aflitos, Recife (+3 °C)

Foto: Climate Central

Divisa entre Sergipe e Alagoas

Imagem: Climate Central

É possível pesquisar o impacto do nível do mar em outras partes do mundo e também simular qualquer parte do planeta através de um mapa disponibilizado pela organização.

LEIA MAIS: