O ensino médio é um período decisivo para o futuro de qualquer adolescente. Escolhas que definirão boa parte de seu futuro são tomadas nesta idade e isso nem sempre é fácil. Mais importante do que pensar na profissão a seguir, é preciso estar preparado para entrar no mercado de trabalho e, assim, iniciar uma carreira. Consciente desta dificuldade, o assistente social Pedro Henrique Santana resolveu ajudar esses jovens a encararem melhor essa fase.

Funcionário da Secretaria Municipal de Assistência Social de Ribeirão das Neves, MG, ele percebeu durante seus atendimentos que os adolescentes tinham uma dificuldade em comum: entrar no mercado de trabalho após concluir o ensino médio. Procurando entender melhor a razão disso, ele compreendeu que o formato atual do ensino não prepara os jovens para irem além, para adquirirem a capacidade de reflexão e se tornarem melhores profissionais. Assim, diante deste problema, começava a surgir a ideia do “Na Trilha Certa”.

O trabalho é desenvolvido dentro das escolas públicas da região. Através de atividades lúdicas, gincanas, teatros e desafios, os adolescentes são testados para entenderem melhor como funciona o mercado de trabalho e qual deve ser a postura de um profissional.

Durante oito encontros, os alunos são instigados a cumprirem diversas tarefas, como a elaboração de um currículo, simulação de dinâmicas aplicadas em recrutamentos e programas de seleção de funcionários, exercícios vocacionais, entre outras coisas. Uma das atividades mais interessantes é um teatro, em que os participantes têm que fazer duas apresentações, uma delas mostrando o que fazer em uma entrevista de emprego e a outra mostrando o que não fazer. Durante a apresentação, os líderes dão dicas do que está certo e errado, permitindo que os estudantes aprendam tudo na prática.

O “Na Trilha Certa” teve início neste ano e já foi aplicado em duas escolas públicas de Ribeirão das Neves, uma das cidades mais pobres de Minas Gerais. A preparação para o mercado de trabalho e para o ensino superior é essencial para dar novas perspectivas aos jovens que crescem em regiões de alta vulnerabilidade social e com pouca estrutura preparatória. Apesar do pouco tempo de vida, o projeto já tem sido um sucesso e a ideia é expandir ainda mais. “O município é carente de ações intersetoriais, assim como é carente de qualquer tipo de projeto social, os planos para o projeto é que ele seja fortalecido, e que tenha a realização de quatro edições por ano, totalizando quatro escolas de ensino médio diferentes, atingindo mais jovens em diferentes territórios da cidade”, explicou Santana, em entrevista ao CicloVivo.

O assistente social garante que não são apenas os jovens que se beneficiam deste projeto, que tem ajudado a desenhar um futuro melhor e com mais esperança. Este trabalho também tem feito muito bem a ele mesmo. “Eu me sinto plenamente realizado. Eu tinha resistência a este público, mas a necessidade de mudar a realidade e de superar desafios me move. E hoje ao ver a proporção que o projeto tomou, e impacto positivo nos jovens me faz ter a certeza de que este projeto foi um belo presente.”

O “Na Trilha Certa” tem uma página no Facebook, onde todas as atividades são compartilhadas, como forma de incentivar os alunos participantes e reconhecer seus esforços para estarem melhor preparados na hora de encarar o mercado de trabalho. Clique aqui e acompanhe o que essas crianças estão fazendo.

Por Thaís Teisen – Redação CicloVivo