Maior expoente da agroecologia. Mãe da agroecologia brasileira. Elogios não faltam à Ana Maria Primavesi, mulher que revolucionou a agricultura ecológica. Nascida em 1920 na Áustria, ela migrou para o Brasil em 1950, após sobreviver a um campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.

Ana nos deixou no dia 05 de janeiro de 2020, aos 99 anos. Com quase um século de vida, deixa um grande legado e inspiração para o trabalho de muitas gerações.

Símbolo de resistência e amor à natureza

Formada em engenharia agronômica, Ana publicou 94 artigos científicos no Brasil e no mundo, escreveu 11 livros e colaborou em inúmeras outras publicações. Também realizou palestras e cursos em diversas áreas. Suas pesquisas em ciências do solo deram origem ao seu livro mais conhecido “Manejo Ecológico do Solo”, obra de referência nas ciências agrárias.

A publicação é focada na importância de restabelecer o equilíbrio entre o homem, a natureza e os animais. Ana foi a primeira mulher a afirmar que o solo tem vida, uma ideia que, com o aprofundamento do livro, revolucionou a agricultura ecológica na América Latina.

Atuou em um meio quase que exclusivamente masculino e foi bastante contestada. Suas pesquisas apontaram para uma agricultura que privilegia a atividade biológica do solo, substituindo o uso de químicos por técnicas como adubação verde e controle biológico de “pragas”. Em tempos em que se aprova um novo agrotóxico por dia no Brasil, seu pioneirismo e conhecimento são cada vez mais necessários.  

Agradecemos à Professora!

Ana foi professora e fundadora de importantes organizações, como a AAO (Associação de Agricultura Orgânica), estabelecida em São Paulo, e do MAELA (Movimiento Agroecológico Latinoamericano). Recebeu inúmeros prêmios. Pouco conhecida fora do mundo da sustentabilidade, deixa para os que defendem a natureza conhecimento inestimável.

O CicloVivo agradece e presta homenagem à esta mulher incrível e à sua história. Suas descobertas e legado vão continuar conosco e serão ferramentas para quem defende nosso planeta e o equilíbrio entre a humanidade e a natureza.

Foto: facebook | Ana Maria Primavesi