Um projeto tem espalhado esperança às pessoas afetadas pela guerra no Sudão. Através do esforço do neurocientista australiano, Richard Van As, e do empresário norte-americano Mick Ebeling, amputados tem recebido próteses de braços feitas em uma impressora 3D.

O trabalho é mais um dos projetos da “Not Impossible”, organização que já criou o EyeWriter, um sistema que permite às pessoas com paralisia desenharem apenas usando os olhos. O objetivo agora é ajudar a recuperar pessoas carentes vítimas da guerra.

Para que o projeto fosse adiante, Ebeling contou com uma série de especialistas, focados em criar um braço mecânico que fosse facilmente produzido em qualquer lugar e com custos baixos. A solução foi a utilização de uma impressora 3D.

Além de desenvolver o modelo, a Not Impossible também realizou um processo de capacitação em um hospital local, para que as próteses pudessem ser feitas pela própria comunidade, independente da atuação da organização. O intuito é ir além.

not_impossible_3d_arms-2
Foto: Divulgação

Segundo Ebeling, toda a tecnologia utilizada está aberta e acessível para ser replicada por outras empresas em qualquer lugar do planeta. “Estamos esperançosos de que outras crianças e adultos em outras regiões da África, bem como de outros continentes ao redor do mundo, possam utilizar essa tecnologia para recomeçar”.

Redação CicloVivo