O movimento internacional da sociedade civil Nossa América Verde é propõe um plano de recuperação verde à crise econômica, sanitária e climática na América Latina.

“Nesse momento, a pandemia impacta a América Latina com milhares de mortes e desampara milhões de trabalhadores que perdem seus empregos. Essas consequências são, infelizmente, apenas um prelúdio ao que podemos enfrentar se não nos prepararmos urgentemente para responder à emergência climática. Mas como combatê-la quando temos uma crise sanitária e econômica em curso?”, questiona Rodrigo Echecopar, economista chileno e coordenador geral do da iniciativa.

A iniciativa convoca lideranças a colocarem no centro do debate político medidas concretas de mitigação, adaptação e financiamento frente aos impactos das mudanças climáticas e de apoio imediato às famílias pobres e trabalhadoras – população mais afetada pela pandemia de Covid-19.

“Agora, mais do que nunca, precisamos de uma forte resposta do Estado para apoiar as famílias necessitadas e investir na recuperação econômica. O maior investimento público da nossa história não pode ser usado para um retorno ao passado pré-pandêmico, mas sim para pavimentar o caminho rumo a um futuro mais justo e sustentável”, completa Rodrigo.

Três pilares

Foto: Willian Navarro | Unsplash

Nossa América Verde propõe renovações profundas que possam aplacar as mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, garantir a qualidade de vida da população e reduzir as desigualdades. Para isso, reivindica uma transformação produtiva a partir do realismo científico, da cooperação e da justiça social.

São esses os três pilares de ações pragmáticas que valorizam a colaboração acima da concorrência e defendem a necessidade de uma estratégia comum entre os países da América Latina.

Elas estão sendo consolidadas no Plano de Recuperação Econômica com Justiça Social e Ambiental 2020-2030, que apresenta 14 propostas de uma unidade latino-americana e delinear um roteiro de mudanças concretas na vida cotidiana.

Em julho uma versão versão preliminar do plano vai passar por uma consulta pública online para que a comunidade científica, economistas, ativistas, lideranças políticas e sociais de toda a região colaborem com o conteúdo.

Sem vínculos partidários, Nossa América Verde já está presente no Brasil, México, Argentina, Chile, Colômbia e Guatemala, com a meta de alcançar muito em breve toda a América Latina.

Construção coletiva

Em tempos de crise sanitária, negacionismo climático e isolacionismo nacionalista, o movimento faz um chamado pela união da América Latina tendo em vista a recuperação verde da região.

“Apostamos radicalmente numa retomada econômica baseada na construção coletiva, antirracista e liderada pelos povos e comunidades tradicionais, pela periferia, urbana e rural na preservação da vida e no bem-estar comum”, comenta Mariana Belmont, articuladora da iniciativa no Brasil.

“É hora dos nossos países entenderem que as políticas públicas precisam ser orientadas pela ciência e que a justiça ambiental requer justiça social e o combate ao racismo ambiental. Por isso, nós nos juntamos ao movimento por um Green New Deal Global e convocamos nossos governos a se comprometerem com um futuro justo e sustentável para as próximas gerações”, conclui Mariana.

Nossa América Verde

É um movimento da sociedade civil que busca promover um plano de recuperação verde e latino-americano. Para isso, reúne lideranças políticas e sociais e propõe 14 medidas concretas de financiamento e investimento em mitigação e adaptação, para que a América Latina possa enfrentar a crise econômica, sanitária e a emergência climática.

Saiba mais em nossamericaverde.org.