jardins de chuva vila nova conceição
Foto: Pixabay

A Subprefeitura Vila Mariana inicia nesta quarta-feira, 28 de outubro, a construção de 21 jardins de chuva na Vila Nova Conceição, bairro do distrito de Moema. Muito além da questão estética, os jardins de chuva atuam como pontos de microdrenagem e ajudam a resgatar as espécies nativas da Mata Atlântica no bairros.

Os locais definidos na Vila Nova Conceição têm situação geográfica muito favorável para esse tipo de intervenção e foram aprovados em conjunto com a Associação de Moradores da Vila Nova Conceição (AMVNC). As águas escoam, sem acumular, em velocidade reduzida e não há riscos de alagamentos – mas sim de empoçamentos. O prazo para conclusão das obras, viabilizada por meio de emenda parlamentar, é de 60 dias.

Jardim de chuva na cidade de Nova York
Jardim de chuva na cidade de Nova York | Foto: NYC Water

“Um fluxo de água com trajeto reto, curto e rápido desidrata a paisagem e provoca erosão. Já uma rota longa e sinuosa com pontos de retenção desacelera a água e hidrata a paisagem, prevenindo erosões e permite uma infiltração maior“, explica a arquiteta Débora Grecco, supervisora de Planejamento Urbano da Subprefeitura Vila Mariana. 

“Os jardins amortecem e absorvem a água da chuva, contribuindo contra alagamentos abaixo, e retendo a água, promovendo também a biodiversidade”.

O subprefeito Diogo Soares,afirma que este é apenas o primeiro projeto desse tipo feito pela Subprefeitura Vila Mariana. “Em breve, faremos uma implantação também no distrito da Saúde e nosso objetivo é expandir para outros locais“.

Confira onde vão ser construídos os jardins de chuva na Vila Nova Conceição:

O caminho das águas

A água da chuva que corre sobre as ruas da Vila Nova Conceição segue para o Córrego do Sapateiro – ou Córrego Uberaba -, depois para Rio Pinheiros, que pode desaguar no Rio Tietê que, por sua vez, corre sentido noroeste e cai no Rio Paraná, na divisa dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, onde segue na direção sudoeste passando por Paraguai e Argentina.

jardins de chuva
Canteiro de chuva funcionando |Foto: Novas Árvores por Aí

Depois, a água muda de direção para o sudeste antes de desembocar no Oceano Atlântico, na divisa com o Uruguai, totalizando uma distância aproximada de 3.030 km entre a Vila Nova Conceição e o Oceano Atlântico.

A área do projeto está localizada entre as microbacias hidrográficas dos córregos Sapateiro e Uberaba. O ponto mais alto está na Rua Lourenço de Almeida com a Rua Brás Cardoso, a aproximadamente 747 metros acima do nível do mar. Os pontos mais baixos estão na Rua Balthazar da Veiga com a Rua Jerusalém; Rua João Lourenço com a Rua Jacques Félix (ambos a cerca de 745 metros do nível do mar). A declividade nesses locais é baixa (entre 0,7% e 0,9%), o que favorece o escoamento superficial lento e contínuo.