A prefeitura de Madri, Manuela Carmena, acaba de anunciar um projeto grandioso para a rua mais famosa da cidade, a Gran Vía. Entre as ações, haverá faixas compartilhadas entre carros e bicicletas, ampliação de calçadas e redução de espaços para automóveis.

Uma cidade mais humana parece ser o centro do plano de Manuela. Uma das metas é integrar a bicicleta ao resto do tráfego e, para isso, os veículos particulares não poderão ultrapassar a velocidade de 30 quilômetros por hora. Serão duas faixas compartilhadas e mais duas exclusivas para o transporte público.

Quem conhece a avenida sabe que com quatro vias ainda sobraria espaço, mas aí é que entra outro plano da gestão que é levar mais verde para o bairro. As calçadas serão ampliadas, dando mais conforto para os pedestres – os agentes que deveriam ter prioridade em qualquer cidade – e ainda receberão o plantio de árvores.

Também faz parte do projeto a ideia de remodelar seis praças no entorno da avenida e considera reorganizar acessos à áreas de estacionamento e áreas para carga e descarga – realizado normalmente por veículos de grande porte.

Con texto

Ciclistas questionaram o fato de que a bicicleta não pode ficar encurralada entre os automóveis, mas em geral o projeto foi bem aceito. As obras terão início em janeiro de 2018 com previsão de término para oito meses depois. A ideia é que no outono europeu os moradores já possam desfrutar da vida totalmente remodelada.

madri-ciclovivo-granvia

Redação CicloVivo