O projeto Helsinki Plant Tram, realizado na capital da Finlândia, garantiu o passe livre no sistema de transporte público aos usuários que doassem mudas de plantas. Entregues na linha de bondes, principal meio de locomoção coletiva da cidade, as plantas deram origem a um jardim urbano itinerante com estrutura de materiais reciclados, erguida com a colaboração dos próprios habitantes.


Fotos: Divulgação/planttram

O engajamento dos finlandeses fez a gratuidade do transporte público valer por apenas três dias – tempo suficiente para angariar todas as plantas que compõem a área agrícola, cuja estrutura foi inspirada numa montanha russa e montada somente com materiais encontrados no lixo, como caixas e ripas de madeira. A obra, que durou pouco mais de cinco dias, foi projetada pelo escritório britânico Wayward Plants, que reúne designers e paisagistas especializados em sustentabilidade.

Além de doarem as plantas para garantirem a passagem gratuita no sistema de transporte público, muitos habitantes de Helsinki também se engajaram na construção da área verde, instalada numa usina desativada de energia e gás em Suvilahti, região nordeste da capital finlandesa.  O local, que antes abrigava uma usina de energia não renovável, se transformou num ícone de agricultura urbana, área de convivência, pista de skate e patinação. Veja o vídeo:

O jardim urbano também ganhou uma estação de bonde, montada em um contêiner reutilizado. Em agosto, a área verde sediou um festival de música e arte contemporânea, com duração de cinco dias. Em 2012, Helsinque havia recebido o título de Capital Mundial do Design.


Fotos: Divulgação/planttram

Os finlandeses que se engajaram na construção do jardim foram estimulados a revitalizar algumas partes da cidade, apostando na criação de espaços de convivência e na agricultura urbana, técnica que provê melhorias não só para o meio ambiente, como também para a alimentação e para a saúde das pessoas que entram em contato com o plantio e consomem os produtos que vêm diretamente da terra.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.