O Museu de Arte Parrish foi recentemente construído em Long Island, nos Estados Unidos. Visto de fora, o local até se parece com um celeiro, no entanto a estrutura não foi pensada simplesmente para ornar com as fazendas da região, ela é altamente eficiente.

O escritório suíço de arquitetus Herzog & de Meuron foi o responsável pelo projeto. A construção é coberta por dois telhados pontiagudos, que dão a ilusão de abrigarem apenas dois celeiros. No entanto, eles são os grandes responsáveis pelo conforto de quem visita a estrutura.

A luz que incide no ambiente é proporcionada pelas claraboias, instaladas verticalmente por todo o telhado. A iluminação natural permite grande economia energética, descartando a necessidade do uso de sistemas altamente tecnológicos. Quando é necessário o uso de lâmpadas, os arquitetos optaram por modelos mais econômicos e frios.

Os grandes telhados também formam grandes ares de convivência em terraços abertos que contornam todo o museu. O espaço funciona como abrigo, oferecendo sombra e proteção contra a chuva aos visitantes que querem aproveitar a paisagem local.

Se externamente a estrutura lembra uma fazenda, o design interior é bem diferente. Apesar de ter a madeira usada no telhado à vista, o ambiente é bastante limpo visualmente, com paredes claras, que aumentam a reflexão da luminosidade natural. As exposições são dispostas e divididas pelos corredores do museu. Com informações do Inhabitat.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.