A capacidade de criar novas possibilidades é essencial num mundo de iminente mudanças climáticas. Vejam o caso de uma moradora da cidade de Mechelen, na Bélgica: ao reformar a casa ela criou um espaço especial para cultivar hortaliças. Além disso, todo o projeto se moveu em torno de trazer mais iluminação e vida para a pequena construção, que no fim das contas dá a impressão de ser maior do que é de fato.

Iluminada por luz natural, compacta e com estilo minimalista. Concebido pelo escritório de arquitetura belga dmvA, o projeto incluiu derrubar parte da construção original para ampliar o acesso à luz solar -, uma vez que a residência está localizada entre dois prédios.

Batizada de House TP, ela possui espaços abertos, arejados e vidros, que garantem ampliação da ideia de espaço. O projeto ainda aproveitou uma viga de aço (e inseriu outras mais) para criar a base do que seria a estufa “flutuante”. A estufa atende ao desejo da moradora de praticar agricultura urbana.

Ao contrário do que pode parecer em sua fachada, sufocada entre dois prédios de tijolos vermelhos (sendo um deles uma igreja), a residência tem ares modernos e parece um respiro quando se entra. Com apenas 90 metros quadrados, a casa entra nos parâmetros dos novos tempos, onde menos é mais. Confira o resultado nas fotos abaixo.