Inicio Tecnologia Barreira que promete limpar os oceanos é instalada na Holanda para testes

Tecnologia

Barreira que promete limpar os oceanos é instalada na Holanda para testes

A barreira é feita com borracha vulcanizada e um subsistema de cabos que alcança até 4.500 metros de profundidade.

27 de junho de 2016 • Atualizado às 10 : 31
Barreira que promete limpar os oceanos é instalada na Holanda para testes

Até 2020 uma versão com cem quilômetros de extensão deve ser instalada no local em que está a grande mancha do Pacífico, entre a Califórnia e o Havaí. | Foto: Divulgação

9.48K
0

Um dos projetos mais promissores do mundo para a contenção dos plásticos nos oceanos está em testes reais. O Ocean Cleanup é uma barreira com potencial para impedir que o plástico nos oceanos se espalhe. Com o apoio do governo holandês, o primeiro exemplar do sistema já foi instalado em alto mar e permanecerá sob monitoramento por quase um ano.

A tecnologia foi criada pelo jovem holandês Boyan Slat, quando tinha apenas 19 anos. Hoje, aos 21, ele se tornou um empreendedor ambiental e se dedica à divulgação e aprimoramento dos sistemas que ajudem a limpar os oceanos.

No primeiro teste, a barreira usada tem cem metros de comprimento e foi instalada a 20 quilômetros da costa. O intuito é usar a experiência para monitorar a eficiência antes que uma barreira muito maior seja instalada na costa japonesa ao final do próximo ano. Até 2020 uma versão com cem quilômetros de extensão deve ser instalada no local em que está a grande mancha do Pacífico, entre a Califórnia e o Havaí.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Ocean Cleanup é feito com borracha vulcanizada e um subsistema de cabos que alcança até 4.500 metros de profundidade. Para que ela seja eficiente, o ideal é que seja instalada em locais estratégicos, de acordo com as correntes marítimas. A função é concentrar o plástico em um só lugar, para que os navios coletores consigam retirar os resíduos de maneira mais eficiente e em grande escala.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Através da parceria com o governo holandês, Slat tem apresentado o projeto para diversos outros países, com o objetivo de expandir o potencial do sistema. Um dos pontos mais críticos é na costa da Indonésia. Até o final deste ano o projeto será apresentado às autoridades indonésias, já que o país tem a segunda maior concentração de detritos marinhos do mundo.

Clique aqui para ver mais detalhes desta tecnologia.

Redação CicloVivo

(9476)

logo
Fechar
Abrir
logo