Inicio Vida Sustentável 7 dicas para fazer um mochilão de voluntariado

Vida Sustentável

7 dicas para fazer um mochilão de voluntariado

Voluntariar é uma das melhores experiências que alguém pode viver para conhecer a cultura e os costumes locais.

22 de dezembro de 2016 • Atualizado às 14 : 04
7 dicas para fazer um mochilão de voluntariado

Durante todo o tempo que ficou na Tailândia, Camboja e Vietnã, Letícia Mello deu aulas de inglês. | Foto: Divulgação

16.94K
1

Abrir mão de tudo e voluntariar seis meses no Sudeste Asiático foi uma das experiências mais enriquecedoras e gratificantes na vida da jovem brasileira, Letícia Mello, idealizadora do projeto “Do for Love”, que recentemente acabou transformando essa bela história em um livro.

Planejar o voluntariado, pesquisar o máximo de informações, conversar com pessoas que já passaram pela mesma experiência, foram alguns dos maiores desafios encontrados antes de partir para sua aventura.

Durante todo o tempo que ficou na Tailândia, Camboja e Vietnã, Letícia Mello deu aulas de inglês a comunidades carentes, para policiais, monges, angariou fundos para construir uma casa a uma família, entre outras grandes ações. Fazia tudo isso em troca de acomodação e alimentação na comunidade local. “O importante é estar com o coração aberto e levar carinho e atenção. O que eles precisam é de amor e cuidados. E na verdade, você acaba aprendendo muito mais do que ensinando” diz Letícia.

Pensando nisso, a jovem listou sete dicas fundamentais para quem deseja voluntariar de forma independente fora do país. “Todos os dias recebo mensagens de viajantes que estão organizando sua próxima aventura e me pedem dicas sobre como planejar um mochilão do bem mundo a fora”, comenta Letícia.

  1. Por onde começo?

O primeiro passo é definir qual o seu interesse em voluntariar e buscar países que oferecem oportunidades de voluntariado que você pretende trabalhar – seja com animais, educação, construção, medicina, enfim, existem inúmeras opções disponíveis, basta escolher a que melhor você se encaixa. Tendo definido o tipo de trabalho voluntário e o país de interesse, a próxima etapa é analisar seu orçamento e quanto tempo pretende viajar, sempre atento a melhor época para visitar cada país – um detalhe que poder crucial no sucesso da sua viagem.

  1. Pesquisa

Você escolheu voluntariar de forma independente, então tome ciência de que você está no controle da situação! A internet é a sua melhor aliada para essa tarefa. Pesquisar o máximo de informação e sites disponíveis e entrar em contato com pessoas que participaram dos mesmos projetos economiza tempo durante a viagem.

Porém, com muita informação disponível na internet é necessário saber distinguir quais são as informações relevantes e confiáveis, para evitar problemas futuros.

Alguns sites que eu indico para pesquisa: Workaway, Helpx e o brasileiro Worldpacker.

  1. Seja honesto

Ao redor do mundo existem diversos programas para voluntariar: seja para dar aulas de inglês, atuar com trabalho humanitário, em construções ou trabalhar com animais. Independente do campo de atuação é fundamental ser transparente e honesto com a instituição. Não minta as suas habilidades e qualificações para se encaixar em algum projeto. A honestidade é fundamental para o desenvolvimento do trabalho voluntário. Infelizmente, muitos projetos recebem informações mentirosas sobre os voluntários, o que dificulta o andamento do projeto.

  1. Voluntariado não é férias

Voluntariar é uma das melhores experiências que alguém pode viver para conhecer a cultura e os costumes locais – conhecer a rotina e ter contato com os nativos de uma determinada região é enriquecedor. Mas viajar para voluntariar é saber que boa parte do seu tempo livre é destinado ao voluntariado, então seja comprometido e aproveite ao máximo essa experiência.

  1. Nem tudo sai como planejado

Infelizmente existem projetos que não cumprem o que prometem, cobram valores altos e não são tão sérios – por isso a pesquisa antes da viagem é tão importante.

Mas como tudo na vida, se algo der errado, aprenda a ver o lado bom dessas situações – isso nos faz refletir sobre a realidade de cada país e nos ajuda a criar mais empatia pelas pessoas. Aprenda com isso e sempre tenha um plano B na manga, caso você chegue em algum projeto e nao se identifique. Isso aconteceu muito comigo no Camboja e no final percebi que não era por maldade deles, mas sim um desespero para sobreviver.

  1. Esteja sempre preparado para o pior

Você está em um país diferente, não conhece ninguém, optou deixar o conforto de casa para voluntariar. O banho nem sempre vai ser de chuveiro e água quente, um colchonete no chão pode vir a ser a sua cama, o calor vai te incomodar, o sistema de saúde da região pode ser precário, você não sabe como funciona a rotina e os costumes dos locais, então prepare-se para situações adversas. Mas, para o seu voluntariado ser um sucesso, encare com otimismo essas divergências, pois são elas que vão te tirar da zona de conforto e te ensinar muito mais do que você possa imaginar.

  1. Não desista

Imprevistos vão acontecer, aliás, você abriu mão do conforto da sua casa, vai aprender a lidar com a saudade da família, de casa, dos amigos. Por mais difícil que pareça ser, lembre-se que sua ajuda está impactando a vida de muitos e isso é a maior recompensa que você vai ter. Várias foram às vezes que a vontade de largar tudo falou mais alto, mas a força e a vontade de continuar impactando outras vidas de forma positiva sempre foram mais fortes. No final de tudo, ao retornar pra casa, cada segundo dessa experiência valerá a pena e tudo o que você ajudou ficará de legado para outras pessoas.

Clique aqui para mais dicas e informações.

(16940)

logo
Fechar
Abrir
logo