Na vida corrida dos centros urbanos, garantir uma alimentação saudável pode ser um desafio, tanto na rua quanto em casa. Por isso, cultivar uma horta em casa pode ser uma boa alternativa às hortaliças vendidas em supermercado. Pode parecer um desafio ainda maior fazer o cultivo em casa, mas não é bem assim. Além de se certificar que está consumindo um produto orgânico, portanto mais saudável, pode ser também uma boa atividade mental, como afirmou o comerciante Marco Antônio Pinheiro Machado, o Marquinho Biggs, que cultiva uma horta com mais de 150 espécies na laje da sua casa em Rio Novo, MG.

Costume de família

Em entrevista ao CicloVivo, Marquinho conta que o costume de cultivar horta vem desde seus pais. “Minha família sempre teve horta em casa, o que ajudava na melhoria da nossa alimentação. Eu particularmente achava muito legal plantar, cuidar e ver o resultado final com as plantas se desenvolvendo e eu aproveitando e melhorando meu cardápio com alimentos frescos. Desde muito pequeno, tipo três ou quatro anos, sempre que podia eu ia com meu pai onde ele plantava . E aí que começou meu amor por plantas”.

“A esposa pediu para colocar umas plantinhas na entrada da casa. Eu aproveitei e fiz uma mini horta”, diz Marquinho em sua página pessoal. | Foto: Marquinho Biggs/Facebook/Reprodução

Marquinho diz ainda que sempre teve horta em casa, com exceção do período em que morou no Rio de Janeiro. Para ele, espaço – ou a falta dele – não é um problema. Desde que começou o cultivo desta horta há 15 anos, ele adaptou a laje de sua casa para receber os legumes, verduras, PANCs (plantas alimentícias não convencionais), plantas aromáticas e até medicinais. “Tive que adaptar [para aguentar] o peso e a quantidade, para ter uma produção boa”, conta.

Em sua horta, que é um verdadeiro oásis, é possível encontrar alface, couve, cenoura, taioba, inhame, cebolinha, salsa, almeirão, PANCs como beldroegas, capiçoba, serralha, e dezenas de outras espécies. É de imaginar que Marquinho tenha ajuda, porém, nem sempre é assim. “Às vezes meu filho me ajuda na horta um pouco, mas geralmente faço sozinho”.

Mudanças no hábito

Marquinho e o filho, Gubert, em evento de trocas e doações de mudas e sementes. | Foto: Marquinho Biggs/Facebook/Reprodução

A prática de cultivar hortas que o produtor de Rio Novo herdou do pai ainda hoje dá frutos. A alimentação saudável à base das frutas e hortaliças da laje é uma delas. “Eu acredito que tudo é questão de costume, meu filho gosta mais de verduras e legumes do que de carne”, conta.

Como conseguir plantas variadas

Para conseguir cultivar uma horta urbana com variedade, é preciso ter contatos. Geralmente, outras pessoas que também cultivam gostam de vender, trocar e até doar mudas para aqueles que ainda não têm. Marquinho, que também é responsável pela página “Horta na laje e pomar em vasos“, diz que é assim que consegue boa parte das espécies que tem hoje.

Figo da Índia colhido na laje de Marquinho. | Foto: Marquinho Biggs/Facebook/Reprodução

“Eu gosto de experimentar novos sabores e conhecer novas verduras e legumes, de plantas diferentes. Geralmente procuro informações e, como conheço muita gente do meio, eu acho e consigo”.

Como cultivar sua horta urbana

Para aqueles que têm interesse em começar sua horta em casa, Marquinho já aconselha a conhecer as espécies. “Cada planta tem sua época e seu ciclo e se você souber sobre isso não tem dificuldade”, ele diz.

Uma vez sabendo quais espécies quer cultivar, ele continua com as instruções. “A primeira coisa é fazer compostagem para enriquecer a terra. Você pode usar resto da cozinha, casca de frutas, legumes, verduras, casca de ovo, pó de café, folhas secas, capim, serragem etc. Criar minhocas ajuda demais. Eu uso muito esterco bovino. Tudo que se decompõe é bom para horta. O que eu acho super legal se você mora em casa é ter uma cisterna para captar água de chuva, pois plantas gostam de um pouco de umidade e água é essencial. De resto, mexer em horta é uma terapia”, finaliza.

Leia também: Como fazer compostagem em casa ou em apartamento