Inicio Cidadania Larvas de joaninhas serão distribuídas a jardineiros de Paris

Cidadania

Larvas de joaninhas serão distribuídas a jardineiros de Paris

A ideia é combater pragas de plantas como pulgões, sem utilizar inseticidas.

7 de abril de 2017 • Atualizado às 14 : 45
Larvas de joaninhas serão distribuídas a jardineiros de Paris

Uma joaninha chega a comer mais de 50 pulgões por dia. | Foto: iStock by Getty Images

1.51K
0

A Prefeitura de Paris, na França, anunciou no final de março que irá distribuir 40 mil larvas de joaninhas para jardineiros amadores da cidade. A ideia é estimular práticas orgânicas de manejo pela cidade e coibir o uso de inseticidas e agrotóxicos.

Segundo a prefeitura da capital francesa, existem 29 espécies de diferentes besouros registrados na cidade e a espécie escolhida para ser distribuida é a Adalia bipunctata, conhecida como joaninha de dois pontos, uma espécie muito comum na Europa e América do Norte.

As joaninhas fazem parte da família dos besouros e se alimentam de pequenos insetos, ácaros, pólen e néctar. O inseto, apesar de considerado “fofo” por quase todos, é um predador voraz de pulgões, alimentando-se tanto da forma adulta deles, como da larva. Uma joaninha chega a comer mais de 50 pulgões por dia. Por este motivo, elas são perfeitas para realizar o controle biológico nos jardins e plantações.

joaninha_dois_pontos

Adalia bipunctata, conhecida como joaninha de dois pontos. | Foto: iStock by Getty Images

Esta abordagem faz parte da estratégia da cidade em apoiar práticas de jardinagem orgânica pelos seus cidadãos e assim, proteger a biodiversidade. É também uma maneira de educá-los, já que a partir de 1o de janeiro de 2019, o uso de pesticidas será proibido para todos os jardineiros amadores da cidade. Além disso, a cidade proibiu o uso dos herbicidas glifosato e 2,4-D na gestão dos espaços verdes e do meio ambiente desde que foram classificados pela Organização Mundial de Saúde, em 2015, como substância com probabilidade cancerígena.

Em 2001, Paris aderiu à gestão ecológica dos espaços verdes, mudando práticas de horticultura com técnicas diferenciadas, como a utilização de resíduos orgânicos de folhas e podas, conhecido como mulching, a compostagem, e a adaptação das plantas ao solo e clima.

As 40 mil larvas serão distribuídas em maio e junho. Uma caixa de 100 larvas será doada a cada uma das 110 hortas comunitárias da cidade. Além disso, mais de 1.600 pessoas com permissão para cultivar na cidade também receberão caixas com 15 a 20 larvas em um parque da cidade. Kits educacionais serão apresentados para auxiliar os jardineiros a utilizarem técnicas orgânicas que possam garantir o equilíbrio biológico em seus jardins.

Redação CicloVivo

(1514)

logo
Fechar
Abrir
logo