Inicio Cidadania Greenpeace instala placas solares em ONG que trata pacientes com lesões neurológicas

Cidadania

Greenpeace instala placas solares em ONG que trata pacientes com lesões neurológicas

A doação permitirá uma redução de até 10% nas contas de luz da entidade localizada em Jundiaí (SP).

19 de fevereiro de 2016 • Atualizado às 14 : 16

Esta não é a primeira vez que o Greenpeace multiplica o poder do sol por aí. | Foto: Reprodução/Facebook

Greenpeace instala placas solares em ONG que trata pacientes com lesões neurológicas
941
0

Na próxima segunda-feira (22), o Greenpeace instalará um sistema de energia fotovoltaica na sede da Associação de Educação Terapêutica Amarati, em Jundiaí (SP). A doação permitirá uma redução de até 10% nas contas de luz da entidade, que oferece tratamento educacional, de saúde e profissional às pessoas com lesões neurológicas ou com necessidades especiais, de todas as idades.

A instalação do sistema fotovoltaico será feita por técnicos e profissionais do Greenpeace, no período da manhã. Já a partir das 13h, os jovens Multiplicadores Solares estarão junto aos funcionários e assistidos da Amarati, ensinando de forma lúdica o que é e como funciona a energia solar.

Esta não é a primeira vez que o Greenpeace multiplica o poder do sol por aí. A organização já angariou fundos que permitiram a instalação de sistemas de produção de energia solar em duas escolas públicas, uma delas em Uberlândia (MG) e outra em São Paulo (clique aqui para ver os detalhes deste trabalho).

“Sol de Norte a Sul”

Além de proporcionar a estrutura a essas e outras instituições, o envolvimento do Greenpeace está diretamente ligado à conscientização e ao incentivo para que a energia solar se espalhe por todo o Brasil. Para alcançar este objetivo, a ONG também produziu o webdocumentário “Sol de Norte a Sul”, que mostra os benefícios da energia fotovoltaica e como comunidades em todo o país estão sendo transformadas por esta tecnologia.

Clique aqui para ter mais informações sobre o projeto e veja o trailer do documentário no vídeo abaixo:

 

(941)

logo
Fechar
Abrir
logo