Inicio Meio Ambiente Gatos selvagens matam até 30 animais por dia e isso tem sido um problema na Austrália

Meio Ambiente

Gatos selvagens matam até 30 animais por dia e isso tem sido um problema na Austrália

Além da perda da biodiversidade resultante da caça, outro problema é a transmissão de doenças.

11 de maio de 2016 • Atualizado às 10 : 48
Gatos selvagens matam até 30 animais por dia e isso tem sido um problema na Austrália

A estimativa dos especialistas é de que existam quatro milhões desses felinos espalhados por todo o país. | Foto: iStock by Getty Images

1.21K
0

Os gatos selvagens são comuns na Austrália e em todo a Oceania. No entanto, a sua alta incidência tem prejudicado o desenvolvimento de diversas outras espécies nativas que são presas fáceis a esse predador natural. Pequenos mamíferos, aves, répteis e anfíbios estão no cardápio preferido desses felinos.

O assunto tem gerado muitas experiências e pesquisas para que seja possível controlar a quantidade de gatos selvagens e as áreas onde eles são encontrados. Em um desses estudos, foram colocadas micro câmeras em coleiras para acompanhar todo a rotina dos gatos.

Através deste monitoramento, os pesquisadores do Australian Wildlife Conservancy conseguiram acompanhar cada detalhe das caçadas de 50 gatos selvagens. O resultado deve ajudá-los a desenvolver estratégias de controle e mitigação da espécie em diferentes áreas do país.

De acordo com o estudo, cada gato selvagem mata de cinco a 30 animais por dia. A estimativa dos especialistas é de que existam quatro milhões desses felinos espalhados por todo o país. Isso significa que, diariamente, milhões de animais nativos são mortos.

Além da perda da biodiversidade resultante da caça, outro problema é a transmissão de doenças trazidas pelos gatos e que afetam animais de outras espécies.

Para minimizar este problema, os cientistas têm buscado alternativas que incluam cercas à prova de gatos selvagens em algumas áreas de preservação. Esta é uma das propostas para reduzir os impactos desses felinos na biodiversidade local, mas ainda não é uma solução definitiva.

Redação CicloVivo

(1212)

logo
Fechar
Abrir
logo