- Publicidade -
Início Mão na Massa Permacultura

Corujas substituem pesticidas em vinhedos na Califórnia

As aves ajudam a proteger as plantações de roedores dispensando o uso de veneno

corujas vinhedos
Foto: Reprodução YouTube | Great Big Story
- Publicidade -

Cultivar uvas e produzir vinho não é uma tarefa simples. Os produtores devem prestar muita atenção ao solo, à chuva, ao calor e à luz do sol. A colheita e o preparo do vinho são outras tarefas que exigem conhecimento e dedicação. E, este trabalho todo pode ser ameaçado por roedores, como esquilos e ratos.

Na Califórnia, ao invés de usar pesticidas, os produtores de vinho decidiram adotar corujas. Esta abordagem está sendo conduzida por alunos de pós-graduação da Humboldt State University que monitoram as aves e os resultados do controle biológico nas plantações.

O experimento é parte de um estudo de pesquisa de longo prazo sob a direção do professor Matt Johnson, do Departamento de Vida Selvagem da universidade e conta com o trabalho de campo dos estudantes Laura Echávez, Samantha Chavez e Jaime Carlino.

- Publicidade -

A equipe colocou cerca de 300 caixas de ninho de coruja em vinhedos no Vale de Napa e estão documentando o impacto da presença das corujas no controle de roedores, sem o uso de venenos.  

A pesquisa inclui 75 vinícolas em Napa Valley – com ninhos de coruja em 60 delas. Segundo os pesquisadores, a diferença no controle de roedores já está sendo notada.  

A espécie usada para o controle biológico é a coruja-das-torres que tem uma temporada de nidificação (construção de ninhos) que dura quatro meses. Nesta fase, as corujas passam cerca de um terço do tempo caçando nos campos. Uma família de corujas pode comer até mil roedores durante a época de nidificação ou cerca de 3,4 mil em um único ano.

Até agora, os alunos de pós-graduação descobriram que as corujas dos vinhedos estão reduzindo o número de esquilos, mas não os ratos. Eles também estão avaliando o impacto das corujas em ratazanas, mas isso não é conclusivo no momento.

Menos veneno

Em janeiro de 2021, o Departamento de Regulamentação de Pesticidas da Califórnia impôs limites mais rígidos ao uso de pesticidas para roedores, que podem matar pássaros e outros animais que comem roedores envenenados por eles. Esses pesticidas levam a mortes horríveis por meio de hemorragia interna.

Os pesquisadores dizem que a maioria dos produtores de vinho em seu estudo não usa mais os pesticidas desde que adicionaram caixas-ninho às suas propriedades. Um estudo recente descobriu que dos agricultores que cultivam uvas para vinho em Napa Valley, cerca de 80% usam caixas-ninho e cerca de 21% usam veneno.

As caixas-ninho estão surgindo em campos agrícolas nos Estados Unidos, Malásia, Quênia e Israel para ajudar a remover naturalmente os roedores que destroem as plantações.Foto: Reprodução YouTube | Great Big Story

Os fazendeiros têm usado corujas e outras aves de rapina para caçar roedores há séculos, mas os pesticidas químicos modernos substituíram os métodos naturais nos últimos tempos. Voltar ao controle biológico é uma maneira de controlar possíveis pragas, sem envenenar alimentos e o meio ambiente.

Foto: Facebook | Barn Owl Research HSU

Em Napa Valley, o caminho para uma agricultura mais sustentável ainda é longo. A região tem mais de 40 mil acres de vinhedos e apenas 3,8 mil acres são certificados como orgânicos. Com o uso cada vez maior de caixas-ninho, há esperança de que os agricultores confiem nesses métodos mais naturais em vez dos raticidas.

Confira como é o trabalho dos pesquisadores no vídeo abaixo (em inglês):

Foto: Reprodução YouTube | Great Big Story

- Publicidade -
Sair da versão mobile