- Publicidade -
Início Inovação Inspiração

Projeto instala mini cisternas em comunidades de SP

Iniciativa já tem unidades em Heliópolis e agora chega na Comunidade Vila Nova Esperança.

mini cisternas
Foto: Habitat Brasil
- Publicidade -

O projeto desenvolvido pela Habitat para Humanidade Brasil para garantir acesso à água a moradores em situação de vulnerabilidade realizou mais uma entrega no mês de dezembro. Com a ajuda de voluntários, foram instaladas 10 mini cisternas urbanas na Comunidade Vila Nova Esperança, localizada na região oeste de São Paulo, que impactarão na vida de 600 pessoas. Em um período de crise econômica e baixo abastecimento dos reservatórios hídricos, essa ação reforça a importância de projetos com foco na população mais vulnerável. 

O projeto já tem unidades em Heliópolis, com seis minis cisternas instaladas em centros educacionais geridos pela UNAS (Associação de Moradores de Heliópolis e Região), beneficiando cerca de 980 crianças e adolescentes. Em Vila Nova Esperança, a Associação de Moradores já contava com uma unidade do projeto que é utilizado, inclusive, para manutenção de uma horta orgânica na sede da Associação de Moradores.

As minis cisternas são utilizadas, principalmente, em comunidades que sofrem algum nível de falta de água. O objetivo é fornecer água de qualidade para utilização doméstica, auxiliando na diminuição da conta mensal, e ensinar sobre a importância do uso consciente. As famílias utilizam o equipamento para armazenar a água da chuva e utilizam essa água para limpeza do lar, regar plantas, lavar louça e lavar roupa. 

- Publicidade -

Thaís Blumer, moradora da comunidade há 19 anos, foi uma das contempladas com o equipamento. Para ela, a mini cisterna irá ajudar muito na economia da casa. “Aqui em casa somos seis pessoas e o consumo de água é grande, nem sempre a caixa d’água dá conta. Mas com a cisterna eu fico mais tranquila porque posso utilizar a outra água para banho, cozinhar”, afirma.

As cisternas urbanas são feitas com tanques de plástico e possuem 3 filtros – um para resíduos maiores, outro para evitar entrada de insetos e um para resíduos medianos. A água, que não é potável, pode ser utilizada para limpar a casa, lavar roupa e cuidar do quintal. São necessários cerca de 40 minutos para realizar a instalação completa e quando chove, a água cai na calha do telhado, desce pela tubulação e chega até o reservatório, que tem capacidade de armazenar 240 litros.

Dênis Pacheco, Gerente de Programas da Habitat Brasil em São Paulo, acompanhou o trabalho dos voluntários, esteve na casa das 10 famílias e pôde ver a felicidade de cada uma delas. “O programa de instalação de mini cisternas urbanas garante o fornecimento de água em comunidades precárias nos períodos de falta de abastecimento. É uma solução facilmente replicável, com baixo custo e que gera grande impacto na vida das pessoas”, disse. 

Ainda em 2021, o projeto irá atuar em Heliópolis, onde mais 16 famílias irão receber a solução e mais uma escola será beneficiada. Dessa forma, o projeto finaliza as instalações deste ano com 22 famílias e oito espaços públicos atendidos, impactando 1038 pessoas e totalizando 30 minis cisternas urbanas em São Paulo. A previsão para 2022 é instalar mais 1.000 unidades.

Quer aprender a fazer sua própria cisterna? Confira o passo a passo do Édson Urbano.

- Publicidade -

Ao navegar neste site você concorda com a nossa Política de Privacidade e uso de cookies para melhorar a sua experiência.

Ok