Nicolas Orellana e Yaseen Noorani, da Universidade de Lancaster (Inglaterra), querem aproveitar ao máximo a energia dos ventos e, para tanto, propõem um novo tipo de turbina eólica. Chamada de Turbina O-Wind, a invenção é a vencedora do prêmio de design James Dyson, no Reino Unido.

À primeira vista, a turbina mais parece uma bolinha de papel, mas não se engane: ela foi inspirada no Mars Tumbleweed, um robô espacial da Nasa. A ideia é que ela possa ser eficiente em cidades onde o vento é imprevisível e multidirecional -, já que as turbinas eólicas tradicionais só captam o vento em uma direção.

Concretamente, a turbina O-Wind é uma esfera de 25cm com aberturas geométricas; fica em um eixo fixo e gira quando o vento bate em qualquer direção. Quando a energia eólica gira o dispositivo, as engrenagens acionam um gerador que converte a energia do vento em eletricidade. Isso pode ser usado como uma fonte direta de energia ou pode ser alimentado na rede elétrica. A dupla sugere que ela seja instalada em grandes estruturas, como na lateral de um prédio ou varanda, onde a velocidade do vento é mais alta.

Reconhecimento

“Esperamos que a O-Wind Turbine melhore a usabilidade e a acessibilidade das turbinas para pessoas em todo o mundo. As cidades têm muito vento, mas não estamos aproveitando esse recurso. Acreditamos que, facilitando a geração de energia verde, as pessoas serão incentivadas a desempenhar um papel maior na conservação do nosso planeta”, afirmou Nicolas Orellana.

Além do reconhecimento, a dupla recebeu o investimento de duas mil libras esterlinas, o que equivale a mais de 10 mil reais. “Fiquei fascinado pela simplicidade do design, em relação à enorme ambição de competir no setor de energia renovável. Desenvolver maneiras de incorporar a sustentabilidade à sociedade é um desafio importante que será um enigma para os engenheiros”, afirmou Kenneth Grange, presidente dos juízes do concurso.