Ter joaninhas povoando sua horta orgânica pode te livrar de outros bichinhos indesejáveis (mais comumente chamados de pragas) e, consequentemente, da necessidade de aplicar agrotóxicos. E isso não se trata de sorte como afirma a crendice popular, mas sim de controle biológico. Em Belo Horizonte, Minas Gerais, a prefeitura adotou a medida em áreas públicas verdes e, desde julho, passou também a distribuir gratuitamente as larvas dos insetos aos moradores da capital.

Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o projeto já entregou mais de 1,6 mil kits de joaninhas, com dez larvas cada. Tais insetos provêm da “Biofábrica de Joaninhas e Crisopídeos” instalada no Parque Municipal das Mangabeiras. Há um ano, o espaço produz os insetos em laboratório com dieta e temperatura controladas.

No kit, são distribuídos larvas de joaninhas e sementes de plantas atrativas a elas. Mas porque larvas e não o inseto adulto? A explicação é simples: as larvas se alimentam mais e vão ajudar muito mais no combate natural de organismos indesejáveis. Cochonilhas, pulgões e até ácaros não têm vez com as sedentas joaninhas.

Como receber o kit

Além de ser residente da capital mineira, a pessoa que tiver interesse em receber a doação de joaninhas deverá preencher um formulário compartilhando algumas informações, tais como: tamanho da área a ser tratada (em metros quadrados); tipo de área a ser tratada (horta, pomar, jardim, jardineira, bosque, arvoredo, quintal); nomes populares das plantas atacadas; nomes populares das “pragas” encontradas.

Posteriormente, o grupo responsável solicitará o comparecimento para a retirada dos insetos, que se dará exclusivamente na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Inspiração

Comandado pelo especialista em entomologia Dany Sílvio do Amaral, o projeto é inspirado em uma iniciativa semelhante adotada pela Prefeitura de Paris em 2017: Larvas de joaninhas serão distribuídas a jardineiros de Paris.

No vídeo abaixo, de 2018, Dany Sílvio explica a importância das joaninhas para os centros urbanos:

No Brasil, desde 2015, a joaninha já é reconhecida como importante predador natural, sendo aprovado como produto fitossanitário na Agricultura Orgânica por instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).