- Publicidade -
Início Inovação Inspiração

Cientista baiana é destaque em Sustentabilidade pelo LinkedIn

Anna Luísa Beserra está entre os 10 criadores de conteúdo selecionados pelo LinkedIn Top Voices de Sustentabilidade.

Cientista baiana é destaque em Sustentabilidade pelo LinkedIn
Foto: LinkedIn
- Publicidade -

Por Alice Sales, Agência Eco Nordeste

A jovem cientista e empreendedora baiana, Anna Luísa Beserra, está entre os 10 criadores de conteúdo selecionados neste ano como LinkedIn Top Voices de Sustentabilidade, o que a torna uma das principais atuantes sobre o tema na rede social de negócios mais utilizada no mundo. A iniciativa visa dar destaque a influenciadores digitais no LinkedIn. Além disso, os criadores de conteúdo selecionados terão suporte para capacitar sua comunidade profissional, disseminar informações e alcançar seu público-alvo com mais eficácia.

Anna Luísa Beserra, que é graduada em Biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), revoluciona a história da Sustentabilidade no Semiárido desde os seus 15 anos de idade, quando criou uma tecnologia inovadora para tratar água de zonas rurais usando luz do sol:  o Aqualuz. A tecnologia é conhecida como a única no mundo usada para tratar água de cisterna usando a luz solar. 

- Publicidade -

Com apenas 17 anos, a pesquisadora  fundou a startup Safe Drinking Water For All (SDW) para desenvolver tecnologias que tornassem o acesso à água e saneamento um direito universal. Aos 18 anos foi a brasileira mais jovem formada em Lideranças de Novos Empreendimentos pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Atualmente é a única brasileira premiada pelos Jovens Campeões da Terra, principal premiação da Organização das Nações Unidas (ONU) para jovens. Hoje, aos 24 anos, está entre os “20 jovens inspiradores nos seus 20” pela McKinsey & Company (2019), além de ser a primeira brasileira finalista do prêmio mundial Green Tech Award.

“Foi um caminho muito desafiador, principalmente por eu não ter nenhuma experiência na área e também não ter um networking de suporte inicial. Foram longos anos me desenvolvendo profissionalmente como empreendedora, em paralelo como cientista para a melhoria do Aqualuz, e validação de modelos de negócio”, detalha a cientista sobre o início de sua trajetória profissional.

Anna Luísa Beserra, criou o Aqualuz, uma tecnologia inovadora para tratar água de zonas rurais usando luz do sol. Foto: Divulgação/Aqualuz

Agora, selecionada como LinkedIn Top Voices de Sustentabilidade, ela ressalta o quão significativo é este reconhecimento: “É muito gratificante, ainda mais pela oportunidade de ter essa visibilidade na rede social mais importante para o crescimento de mercado da Safe Drinking Water For All (SDW). Essa iniciativa possibilita uma maior credibilidade e respaldo nos conteúdos que criamos. Garante também uma maior atração do público-alvo dos conteúdos que os criadores representam”.

Anna Luísa destaca que, desde que passou a utilizar seu perfil no LinkedIn com mais foco, vem tentando trazer sua visão sobre a sustentabilidade e expor o que tem feito como empreendedora social na SDW. Sua expectativa nessa nova empreitada é contribuir cada vez mais no âmbito da sustentabilidade e promover a difusão de conteúdo e conhecimentos relevantes para  transformá-los em ações positivas.

LinkedIn Top Voices Brasil 

A lista do LinkedIn Top Voices Brasil existe desde 2016 e destaca anualmente os 25 profissionais brasileiros que promovem networking por meio de conteúdos relevantes na plataforma. São levados em consideração critérios como métricas de engajamento nos posts, número de curtidas, frequência das publicações e crescimento de seguidores no último ano. Além disso, o LinkedIn utiliza um filtro qualitativo para selecionar estes perfis com base em requisitos como contribuições relevantes, importância social e diálogos que tratam de assuntos atuais.

Aqualuz

A tecnologia premiada de Anna Luísa, o Aqualuz, funciona como uma caixa de inox cuja tampa é uma placa de vidro. Dentro existe um filtro que, no projeto original, era feito da fibra da planta sisal. É por meio desse filtro que os resíduos sólidos são separados da água.

O dispositivo fica acoplado na bomba da cisterna. A água sai do reservatório e vai por meio de uma mangueira de encanamento para dentro do Aqualuz. Lá, a água fica exposta ao sol até ser purificada, quando um adesivo colado na tampa muda de cor para indicar que a água está própria para o consumo. A tecnologia premiada pela ONU dura cerca de 20 anos apenas com limpeza de água e sabão, sem precisar de manutenção externa ou energia elétrica.

Para saber mais sobre o Aqualuz, clique aqui.

Por Agência Eco Nordeste

- Publicidade -

Ao navegar neste site você concorda com a nossa Política de Privacidade e uso de cookies para melhorar a sua experiência.

Ok
Sair da versão mobile