- Publicidade -
Início Arq & Urb Mobilidade

Tembici vai implementar 10 mil novas bikes até o fim de 2022

Só em 2020, a startup registrou cerca de 7 milhões de deslocamentos por usuários das bikes

Tembici bikes economia de CO2
Foto: Tembici
- Publicidade -

Tembici anunciou no dia 9 de junho que seu compromisso de implementar pelo menos mais 10 mil bicicletas compartilhadas em seus sistemas até o fim de 2022. Com isso a empresa vai continuar contribuindo para deslocamentos por meio da mobilidade ativa nas cidades onde atua.

Com o compromisso, a Tembici praticamente dobrará de tamanho até o final do próximo ano. Para isso, há uma grande aposta na expansão do número de  estações – chegando em novas regiões e cidades, como Brasília, continuar investindo fortemente em tecnologia, além do acréscimo substancial no número de bicicletas e e-bikes – os modelos elétricos lançados em setembro de 2020.

“No ano passado, anunciamos uma rodada série B de 47 milhões de dólares que vem possibilitando, desde então, a expansão dos projetos, a implementação de bikes elétricas e as diversas melhorias em tecnologia. Somente nos primeiros meses deste ano, já tivemos cerca de 7 milhões de deslocamentos realizados pelos nossos usuários com nossas bicicletas, o que nos motiva ainda mais a continuar investindo no desenvolvimento de cidades inteligentes e na revolução que sempre acreditamos”, declara Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici.

- Publicidade -

Somente em 2020, com os deslocamento realizados nas bicicletas da Tembici,  mais de 4 mil toneladas de CO2 deixaram de ser emitidas na atmosfera. Para compensar estas emissões, seria necessário o plantio de aproximadamente 30 mil árvores. 

Bicicletas Elétricas

Nos últimos meses a Tembici disponibilizou mais de mil bicicletas elétricas em seu sistema. Dessas, cerca de 500 foram destinadas para o sistema Bike Rio e as demais para o iFood Pedal, em São Paulo, onde são utilizadas por cicloentregadores. Após um mês de operação, em constante crescimento, o projeto já havia registrado, em um mesmo dia, mais de 3 mil viagens e em fevereiro deste ano, o recorde foi batido, com 4 mil viagens em um único dia, um crescimento de 45% do número de viagens desde o lançamento no fim de setembro.

A bike elétrica expande a possibilidade de uso diário, uma vez que facilita deslocamentos mais longos, com menos tempo e em diferentes relevos, exigindo menos esforço de quem pedala. Também por esta razão, ela permite a muitas pessoas, que antes combinavam diferentes modais em seus trajetos, usar agora apenas a bike para se locomover, resultando também em economia financeira.

Vai Longe

Além das novas bikes no sistema, a empresa criou o programa de aceleração de projetos “Vai Longe” com o objetivo de promover e estimular o uso da bicicleta nas cidades, em parceria com a Associação Transporte Ativo, organização da sociedade civil voltada para qualidade de vida através da utilização de meios de transportes à propulsão humana.

Foto: Tembici

Inscrição no Programa de Aceleração 

No site do programa as pessoas, físicas e jurídicas, têm acesso a todas as informações do “Vai Longe” e podem submeter seus projetos até o dia 20/06. Além do cumprimento dos requisitos de documentação e adequação ao escopo de atuação, serão utilizados para os critérios de avaliação: Viabilidade técnica, Viabilidade financeira, Diversidade e Acessibilidade, Potencial de impacto, Sustentabilidade, Criatividade e Inovação.

Serão considerados no processo de seleção, projetos que coloquem a bike como protagonista, seja por meio de educação e conscientização no trânsito, promoção direta ao uso do modal ou até mesmo projetos de estudos e pesquisas para disseminação de conhecimentos sobre mobilidade urbana.

“Da mesma forma que a Tembici nasceu de um trabalho universitário de conclusão de curso acreditamos muito no potencial de projetos que podem ampliar o uso da bike e queremos dar a oportunidade de saírem do papel e fazerem a diferença para as cidades”, complementa Tomás. 

Zé Lobo, Diretor Executivo da Transporte Ativo, acredita e valoriza projetos que tenham impacto sustentável e que promovam a democratização da bicicleta e a inclusão. “Em um momento repleto de desafios, a bike tem ganhado protagonismo e melhorado a vida de muitas pessoas que dependem do modal para deslocamentos e até como fonte de renda. O mercado da magrela cresceu 26% na pandemia e o ‘Vai Longe’ traz uma incentivo fundamental para a mobilidade e para quem busca uma chance de inserir projetos incríveis no mercado”, explica.

Para selecionar os projetos, o comitê será formado por especialistas da Tembici e da Transporte Ativo.

- Publicidade -
Sair da versão mobile