Ícone do site

Fernando de Noronha lança projeto de mobilidade elétrica

A partir de 2030, só poderão circular carros elétricos em Noronha.

Published 23/03/2022
Noronha mobilidade elétrica

Foto: Renault

Fernando de Noronha, no Pernambuco, acaba de dar mais um passo rumo ao processo de descarbonização do arquipélago. O governador Paulo Câmara lançou, na última segunda-feira (21), o projeto Trilha Verde, que irá ampliar a mobilidade elétrica com a inserção de 18 veículos elétricos e a instalação de 12 ecopostos. 

A iniciativa Trilha Verde prevê ainda a construção de mais duas usinas solares, uma delas com sistema de armazenamento para utilização à noite, visando suprir a necessidade da frota, que contará, inclusive, com quatro buggies.

“Estamos muito atentos e determinados em avançar na questão do desenvolvimento sustentável no nosso Estado. Agora, temos a oportunidade de aplicar mais essa prática em Fernando de Noronha, visando impulsionar ações como essa em todo o Brasil. Essa iniciativa dialoga com nossas intenções e nos ajuda a garantir um futuro melhor para as novas gerações”, afirmou Paulo Câmara.

O projeto é resultado de uma parceria entre a Neoenergia, Administração de Fernando de Noronha e Secretaria de Meio Ambiente. Também integram a parceria a Renault, WEG (fabricantes de motores elétricos), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Instituto Avançado de Tecnologia e Inovação (IATI), Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), Eion Mobilidade Sustentável e da Incharge, empresa fabricante de carregadores de veículos elétricos.

Trilha verde

As duas usinas solares estão em fase de instalação na ilha, em terrenos doados pela Administração de Fernando de Noronha. Uma delas irá funcionar no bairro da Vacaria e a outra na área do Laboratório de Economia Circular, ambas com capacidade de geração fotovoltaica de 50kwp cada. 

Já os 12 novos ecopostos previstos no projeto serão instalados em locais estratégicos da ilha e disponibilizados para todos os carros elétricos do arquipélago. O abastecimento desses postos será realizado totalmente com energia limpa, fornecida pela geração fotovoltaica das duas novas usinas solares.

“É fundamental para a ilha que esse projeto se estabeleça, porque o nosso grande objetivo é livrar Noronha da emissão de gases poluentes em um curto espaço de tempo, promovendo práticas mais sustentáveis de mobilidade”, afirma o administrador Guilherme Rocha.

Foto: Renault

Segundo Rocha, o Trilha Verde será uma importante contribuição para o Programa Carbono Zero, que tem a meta de tirar da ilha os veículos movidos a gasolina, álcool e óleo, deixando apenas os elétricos, até 2030. 

Os veículos elétricos serão enviados a Fernando de Noronha e incorporados às principais atividades econômicas da ilha, como trade turístico, administração distrital e à própria operação da Neoenergia. A intenção é avaliar a aderência dos veículos às mais variadas atividades.

“Acreditamos que o projeto de Pesquisa e Desenvolvimento irá impulsionar a sustentabilidade em um ecossistema preservado como Noronha e contribuir de forma determinante com o processo de descarbonização nos variados segmentos econômicos do arquipélago”, destacou o presidente da Neoenergia Pernambuco, Saulo Cabral.

Foto: Neoenergia

Até o final de 2023, os veículos elétricos e os recursos energéticos utilizados no projeto serão analisados. As informações coletadas serão submetidas a avaliações de viabilidade dos modelos de negócios e, posteriormente, será confeccionado um mapa para orientar futuras ações.

“Essa cooperação técnica vai possibilitar que a ilha possa avançar com essas soluções tecnológicas, dando contribuições não só para Pernambuco, mas para o Brasil”, disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti.

As informações são do Governo do Estado de Pernambuco

LEIA MAIS: