Não é à toa que o riso está presente nos mais diversos tratamentos cognitivos para saúde. O ato de sorrir tem um poder enorme sobre o corpo e o resultado positivo de terapias com este embasamento é comprovado por pacientes em hospitais no mundo todo.

Ao ouvir uma piada ou presenciar um fato engraçado, uma pessoa sente automaticamente vontade de sorrir. Para este simples ato, existem diversas funções cerebrais sendo ativadas e que influenciam áreas como a coordenação motora e sensações emocionais diversas, como o sentimento de recompensa e de prazer. “O riso relaxa o corpo e a mente, fortalece as defesas orgânicas, melhora a circulação e a pressão arterial e libera endorfinas, que promovem uma sensação de bem-estar geral. Enfim, rir é saudável”, explica Eduado Lambert, em seu livro “A Terapia do Riso”.

Em um estudo conduzido pelo Dr. Michael Moleiro, na Universidade de Maryland, EUA, os pesquisadores avaliaram como o corpo humano reagia ao riso. Após realizar diferentes testes com 27 voluntários, os cientistas concluíram que rir pode ser tão benéfico quanto a prática de exercícios físicos.

Um bom riso é bem-vindo em qualquer situação. Mas, em alguns momentos ele pode ganhar ainda mais importância. Diversos projetos internacionais que trabalham em hospitais usam o humor e o sorriso para ajudar no tratamento de crianças e adultos. Além de melhorar o ambiente e elevar a autoestima dos pacientes, o sorriso exerce importantes funções fisiológicas, incentivando e estimulando a maioria dos sistemas do organismo.

Uma boa risada movimenta todos os músculos da face, aumenta a quantidade de ar nos pulmões, acelera o ritmo cardíaco e a circulação sanguínea, estimula o pâncreas, fígado e intestino e muito mais. Para doenças emocionais, como a depressão, o uso do riso é ainda mais importante, pois ajuda a diminuir a ansiedade e o desconforto, mesmos motivos que levam especialistas a recomendarem a terapia do riso a pacientes com câncer e outras doenças incuráveis.

O riso é contagioso e muito poderoso, seja no auxílio médico ou no simples fato de deixar o dia mais leve, os relacionamentos mais saudáveis e, principalmente, a vida mais feliz.

Por Thaís Teisen – Redação CicloVivo