Três hospitais municipais de São Paulo que têm banco de leite humano estão com estoques abaixo do indicado para suprir a demanda de consumo de recém-nascidos e prematuros nas unidades de Terapia Intensiva (UTI). Com a aproximação do outono e inverno – quando a doação tende a diminuir – a prefeitura tem reforçado os pedidos para aumentar os estoques. É possível doar por meio do Programa de Coleta de Leite Humano Domiciliar.

De acordo com a prefeitura, o Hospital Municipal Professor Doutor Alípio Corrêa Netto, na zona leste da capital, está com 20 litros no estoque. O que é menos da metade da necessidade mensal, que é de aproximadamente 45 litros. No Hospital Municipal do Campo Limpo, na zona sul, o déficit é de cerca de 25% do estoque regular. No Hospital e Maternidade Cachoeirinha, na zona norte, por sua vez, a coleta está acima dos 50 litros por mês. Mas, para continuar com o estoque regular, é necessário aumentar a coleta em 30%.

Para fazer a doação

Quem quiser participar do Programa de Coleta de Leite Humano Domiciliar deve entrar em contato por telefone e fazer um cadastro. As mães lactantes passarão por exames e uma entrevista para orientação da ordenha e armazenamento do leite. É preciso ser saudável e estar amamentando o próprio bebê.

O programa conta com uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O trabalho de retirada do leite doado na residência das doadoras é acompanhado por uma funcionária de enfermagem, responsável pelo armazenamento adequado do leite. Após a coleta, o leite é pasteurizado para, em seguida, ser distribuído aos bebês nas UTIs neonatais.

A Secretaria Municipal de Saúde destaca que, entre os benefícios para a doadora, está a manutenção da produção de leite, evitando o “empedramento” das mamas.

Bancos de Leite Humano (BLH)

Hospital Maternidade Professor Doutor Alípio Corrêa Netto – (11) 3394-8046

Hospital Municipal Campo Limpo – (11) 3394-7693

Hospital e Maternidade Cachoeirinha – (11) 3986-1011

Por Agência Brasil