Por Ana Lúcia Machado

O círculo é sem dúvida a forma básica mais aplicada em toda a natureza: a Lua, o Sol, os planetas, as estrelas.  As células, átomos, elétrons. As formas das plantas, animais, estruturas geológicas. O óvulo, o útero. Todos representados pela forma circular.

Por caracterizar o TODO, o círculo é símbolo divino. Sempre foi representado em todas as épocas e culturas como o símbolo da totalidade original do Universo, da unidade e plenitude. Remete ao infinito, à proteção, segurança, apoio, amizade, amor, cuidado, inclusão. É uma forma convidativa, maternal, e acolhedora.

Ao nascer, criança é colocada no peito materno e tem nele o alimento que garante seu crescimento e desenvolvimento saudável. Podemos observar durante a amamentação, a mãozinha do bebê repousada sobre o peito arredondado da mãe e seus olhinhos fixos nos olhos maternos, dando início a comunicação e as bases do vínculo amoroso.

É no colo da mãe, do pai, que o bebê encontra calor, aconchego.  É no abraço de seus cuidadores que a criança busca consolo, apoio, proteção. Tanto o colo, como o abraço tem formas arredondadas.

Logo, a primeira e maior referência do mundo da criança desde seu nascimento está fundamentada na configuração circular – uma forma viva, natural, e saudável para o desenvolvimento infantil.

Um dos primeiros brinquedos oferecido à criança é a bola. Mais tarde ela brincará alegremente de girar seu corpo, brincará também de roda, como reflexo de uma memória celular do movimento circular primordial.

Quer saber mais? Leia: O MUNDO DA CRIANÇA É REDONDO

Um alerta importante

Infelizmente hoje as crianças vivem nos quadrados, estão emparedadas. Das salas de aula às salas de estar, seja das residências ou consultórios médicos e psicológicos. Das telas da TV às telas dos smartphones.

Elas perderam o espaço orgânico e o ritmo natural do mundo de formas circulares que as conceberam.  Isso tem acarretado desordens psíquicas, dificuldade de socialização, obesidade infantil, entre outros distúrbios.

Temos sido tão invadidos e impactados por esta revolução tecnológica, que perdemos valores importantes, como a liberdade da infância e o convívio familiar. Precisamos urgentemente reaprendê-los para retomar a saúde da nossa sociedade e principalmente de nossas crianças.

Comecemos então por resgatar o calor e a alegria do mundo redondo infantil. Comecemos por estimular o brincar livre na natureza, com bolas, bambolês, bolhas de sabão, bolinhas de gude, bolinhos de areia.