Aquele papo de que menos é mais não poderia ser mais verdade. Quanto mais temos quantidade de algo, menos a valorizamos. Isso vale para adultos e também para crianças, de acordo com um novo estudo da Universidade de Toledo, em Ohio, nos Estados Unidos.

O estudo intitulado “A influência do número de brinquedos no ambiente infantil” testou a hipótese de que um ambiente com menos brinquedos conduziria a uma maior qualidade de jogo em crianças pequenas. Para tanto, foi analisado o comportamento de 36 crianças em uma sala de jogos, que permaneceram durante meia hora brincando com a supervisão de adultos.

Duas possibilidades foram colocadas para cada participante mirim: uma com quatro brinquedos e outra com dezesseis. O resultado da análise mostrou que na primeira opção, com menos brinquedos, os pequenos brincavam mais e exploravam as diversas possibilidades. Ou seja, além delas focaram mais, conseguiam explorar cada jogo de forma mais criativa.

Os autores destacam três pontos do estudo: Uma abundância de brinquedos apresenta uma qualidade reduzida dentro de uma sala de jogos infantil, menos brinquedos ao mesmo tempo podem ajudar as crianças a se concentrarem melhor e jogarem de forma mais criativa e isso pode ser feito em muitas configurações de modo a ajudar o desenvolvimento da criança e promover jogos saudáveis. O estudo completo pode ser conferido aqui.

Redação CicloVivo