Lista de metas, objetivos ou desejos. Chame como quiser, mas é certo que é quase impossível passar pela virada de ano sem refletir sobre as conquistas e frustrações do último ano e as promessas para o ano que entra. E para ajudar aqueles que gostam de colocar tudo no papel, o médico Marcelo Campos, que é brasileiro e dá aulas na Faculdade de Medicina de Harvard, listou algumas perguntas que todos deveriam responder a si mesmos antes de traçar compromissos para 2018. Segundo ele, a proposta combina ciência da mudança de comportamento com a “plasticidade neuronal”, que é a capacidade do sistema nervoso de mudar, adaptar-se e moldar-se.

1 – Por que você quer fazer a mudança?

Certifique-se de encontrar sua verdadeira motivação. Tente olhar além da necessidade de mudar. Veja os benefícios reais da mudança. O que o faz querer mudar? Você quer estar bem para que você possa realmente aproveitar essa viagem no verão? Você quer ser capaz de acompanhar seus netos? Ou apenas porque você quer se parecer melhor? Tente ir fundo em sua alma e emoções. Tente imaginar como sua vida seria depois de ter feito a mudança.

2 – Seu objetivo é concreto e mensurável?

Um objetivo deve ser específico, realizável e mensurável. Para muitas pessoas, o objetivo é um número na escala. No entanto, você poderia considerar executar uma corrida de 5 quilômetros como seu objetivo, por exemplo. É importante não ser muito ambicioso. Muitas pessoas visam um objetivo que pode ser muito difícil de alcançar. A maioria das mudanças a longo prazo ocorre lentamente, então identifique pequenas mudanças que você pode fazer com sucesso. A mudança é um processo, não um evento.

3 – Qual é o seu plano?

O velho ditado é válido: se você não planeja, você planeja falhar. Seja realista sobre o que você pode fazer. Mantenha-o simples e seja preciso. Quanto e com que frequência você gostaria de praticar seu novo hábito? Por exemplo: substitua o sorvete por um pedaço de fruta após o jantar três noites por semana. Escute suas aulas de espanhol duas vezes por semana durante 30 minutos. Pratique a respiração profunda por um minuto depois de colocar as crianças na cama. Escreva isso em um calendário e coloque-o em uma parede em casa ou em seu escritório. Outra ótima ideia é baixar aplicativos que o ajudem a acompanhar seu progresso.

4 – Quem pode apoiá-lo em direção à mudança?

Anote com quem você pretende compartilhar seu plano. Peça apoio. As pessoas que realmente amam você irão ajudá-lo nesta jornada. Publique seus objetivos nas mídias sociais. Isso mostrará seu compromisso de mudar. A mudança geralmente é um esforço de equipe. Encontre um parceiro com o qual pode ir ao supermercado, cozinhar ou dar um passeio. Isso pode ser uma esposa, amigo ou vizinho. Você também pode aproveitar o mundo virtual – há uma abundância de aplicativos e grupos de suporte online disponíveis gratuitamente e por meio de redes sociais. Use o poder da comunidade para aprender sobre o progresso de outras pessoas e compartilhar o que está funcionando para você.

5 – Como você vai celebrar suas vitórias?

Toda vez que você dá um passo em direção aos seus objetivos, certifique-se de refletir sobre a experiência por 10 a 20 segundos. Incorporar o sentimento de realização e ter em mente o quão gratificante é e o quão grande é a sua meta nesse dia. Traga emoções e sentimentos ao que você acabou de fazer. Por exemplo: sinto-me saudável e nutrido depois de comer mais frutas e vegetais. Sinto-me relaxado e calmo após o exercício. Isso o ajudará mais tarde a lembrar quão positiva e importante foi essa experiência para você. Mantenha-se presente com este bom sentimento positivo por 10 a 20 segundos algumas vezes por dia. Viva essa experiência de gratidão mesmo nas pequenas conquistas.

Este último item é fundamental para que o hábito seja incorporado. Nunca se esqueça de refletir e sentir os benefícios de cada meta alcançada, pois só assim seu cérebro entenderá aquilo como parte de você e ajudará a tornar a mudança em algo de fato real e duradouro.

Por fim, o médico lembra que não precisa desanimar se você falhar. Todo dia é dia de começar novamente. O importante é pensar nas barreiras que o impediram e tentar novamente. Persista sempre.

Redação CicloVivo

Jornalista, social media e aparelhada para gostar de passarinhos. Tem interesse por mais assuntos do que é capaz de acompanhar. Aqui escreve sobre infinitas possibilidades de tornar o mundo um pouquinho melhor.