Produzido da cana de açúcar, de cereais ou até mesmo do milho, o álcool é um dos produtos mais versáteis em nosso cotidiano, podendo ser utilizado tanto para o abastecimento de carros e máquinas, quanto para o consumo ou para tratamentos de limpeza e higiene. Contudo, uma das maiores consequências da produção do álcool está em seu fator de poluição, especialmente o álcool provindo da cana de açúcar, que passa por grandes queimadas antes de ser destilada.

Ao mesmo tempo, o uso de agrotóxicos nas plantações e a inserção de compostos químicos ao longo da produção do álcool tornam o produto final extremamente nocivo à saúde, mesmo quando seu uso não está direcionado ao consumo.

Como forma de driblar os compostos químicos e garantir que o álcool seja produzido de forma saudável e sustentável, produtores orgânicos desenvolveram métodos de produção de álcool orgânico, adaptando a destilação e a fermentação de modo a evitar a inserção de produtos nocivos. O álcool orgânico consegue poupar cerca de 30% da água utilizada em seu processo de produção, sendo vantajoso não apenas para o consumidor, como também para o produtor e para o meio ambiente.

Usos e aplicações do álcool orgânico  

O álcool orgânico se tornou uma vantagem tanto para a indústria alimentícia quanto para a indústria de cosméticos orgânicos, que atualmente produz perfumes, colônias e desodorantes 100% orgânicos e garante que pessoas com alergias ou pele sensível consigam usufruir de todas as vantagens de seus produtos.

A indústria de alimentos utiliza o álcool orgânico para a produção de vinagres, conservantes naturais e produção de bebidas, como a cerveja orgânica e destilados, oferecendo uma diversidade de opções para quem deseja uma vida livre de agrotóxicos, pesticidas e demais produtos químicos presentes nos alimentos convencionais e industrializados.

Atenção: embora orgânicas, as bebidas alcoólicas possuem os mesmos efeitos que as demais bebidas, sendo, portanto, proibidas para consumo para menores de idade. Beba com moderação.

Como é feito

Para que o álcool orgânico seja viável, são realizadas algumas mudanças em seu processo de produção, ao começar pela escolha dos ingredientes; toda a matéria prima do álcool orgânico deve ser 100% orgânica e certificada. A cana de açúcar, por exemplo, é colhida ainda verde para evitar as queimadas e sua destilação é realizada com o mínimo possível de intervenções.

Já o álcool de cereais é produzido através do melaço, evitando a contaminação com produtos não orgânicos. Os materiais utilizados na destilação e na fermentação também não devem ter contato com produtos industrializados, preservando a total organicidade do álcool.

Além de ser uma opção mais saudável, o álcool orgânico pode ser utilizado de diversas formas, tendo em sua forma base um produto de uso diário para a limpeza, assepsia e higienização de ambientes. Trocar produtos convencionais por opções orgânicas também faz parte de uma escolha de vida sustentável, que preza pelo meio ambiente e pelo não-uso de agrotóxicos. A longo prazo, essa escolha desencadeará a limpeza de rios, mananciais e, principalmente, de nosso organismo, que poderá funcionar de maneira natural e sem produtos químicos depositados pela indústria alimentícia.  

Thiago Tadeu Campos é especialista em agricultura orgânica e consultor master em produção orgânica na empresa ImGrower. Um de seus principais hobbies é compartilhar conteúdo em seu próprio blog, cuja missão é fornecer material prático, atualizado e de qualidade sobre a produção de alimento orgânico e cultivo protegido.