Ser um plantador de árvores em uma metrópole como São Paulo não é fácil. Mas, o publicitário Nik Sabey não desiste. Se seu trabalho é destruído, ele volta e planta de novo. Ele faz parte de uma geração que quer mais verde na cidade e não tem medo de colocar as mãos na massa, ou melhor, na terra.

“Sempre plantei. Nasci com a mão na terra. Cresci em um bairro mais afastado na Zona Sul de São Paulo perto da represa de Guarapiranga. Claro que isso facilitou muito. Tinha muito espaço e verde em volta. Meus pais também sempre incentivaram bastante, mas eu acredito que a paixão pela terra é algo maior que nasceu comigo”, afirma Nik em entrevista ao CicloVivo.

Todo esse amor pelas árvores não poderia ficar só na varanda de casa. Por isso, em seu tempo livre, ele planta nos espaços “disponíveis” próximos à sua casa. As mudas, segundo ele, são sempre de árvores nativas e, de preferência, endêmicas da região.

Nik Sabey
Muitas sofrem vandalismo na fase inicial. | Foto: Nik Sabey

Sabey também opta por espécies de crescimento rápido, uma vez que em São Paulo na fase inicial as árvores correm muitos riscos de morrerem antes mesmo de se desenvolverem, por causa de vandalismo ou corte de grama. Ele conta uma situação desagradável que passou no bairro da Vila Leopoldina.

“Uma vez plantei sete mudas na Av. Queirós Filho que já estavam com mais de dois metros e as sete foram cortadas. Fiquei muito ‘P’ da vida. Passei o dia pensando em parar com essa ideia e arrumar um lugar privado pra não passar por isso. Mas a raiva vai passando e vejo um monte de espaço para novas árvores cobrirem o cimento. Acabo voltando e plantando de novo”.

Por isso, alerta o publicitário, não é só espalhar mudinhas por aí, é preciso também cuidar. Em épocas de chuva ele planta mais e nos outros meses foca em produzir as mudas. Com isso, já foram mais de 500 mudas plantadas desde 2012. “Não consigo me conformar em uma cidade sem árvores, acho que isso me motiva”.

Um pouco de verde no meio do concreto. | Foto: Nik Sabey
Um pouco de verde no meio do concreto. | Foto: Nik Sabey

A experiência é compartilhada em sua página no Facebook “Novas Árvores Por aí”. Muitos entram em contato para pedir conselhos, além de contribuir para informar e incentivar as pessoas. O movimento na internet cresce rápido e ele percebe uma adesão maior das pessoas em causas ambientais por estímulo das redes sociais. Para se ter uma ideia, o “hortelões urbanos”, um dos grupos do Facebook mais conhecidos, já reúne mais de 25 mil membros.

Ser um plantador de árvores exige persistência. É preciso encontrar tempo para se dedicar, não se deixar abalar pelas mudas perdidas e ter a certeza de que não saberia levar outro estilo de vida. “Se você tem uma paixão, algo que te emociona, algo que você pensa todos os dias, uma ideia que não sai da tua cabeça, foque nisso. Assim, no dia que tomar uma rasteira, um tombo, ou cortarem tua árvore, você vai arranjar forças pra continuar”, aconselha.

Plantio Coletivo

Em parceria com o coletivo Fruto Urbano, Sabey está organizando um plantio coletivo de mudas para este domingo (6) no bairro Vila Leopoldina, localizado na Zona Oeste da capital paulista. A concentração será às 10h da manhã na Praça Apecatu, próximo ao Parque Villa Lobos. Quer ajudá-lo nessa empreitada? Confira aqui detalhes do evento e acompanhe seu trabalho na página Novas Árvore Por Aí.

Marcia Sousa – Redação CicloVivo